Leituras da Mary

terça-feira, 28 de março de 2017

Resenha Nacional: Interator - Alexandre Almeida de Oliveira
Exemplar cedido pela editora para resenha

Marcelo é um adolescente expert em computação, mas sua família vive em grandes dificuldades financeiras e, para piorar, ele ainda sofre bullying na escola onde estuda, passando quase todo o seu tempo fantasiando com uma vida melhor. Tudo começa a mudar quando o rapaz descobre que uma empresa de games chamada 'Assertiva' está para lançar um game de interatividade absoluta - ou seja, através de um equipamento (a câmara de interação) o jogo é inserido na mente do jogador, o que lhe traz sensações físicas de estar dentro do jogo, como suor, dor e cansaço. Tentando fugir de sua vida e de si mesmo, sorrateiramente Marcelo altera a programação da máquina, pede um teste e se "tranca" no mundo da fantasia. Apenas Fábio, seu pai, é quem poderá salvá-lo e ele será desafiado em seus próprios limites na missão de resgatar Marcelo do mundo da fantasia e trazê-lo de volta à realidade. Porém, Fábio precisará superar muitas barreiras emocionais e preconceitos desde que abandonou a família. 'Interator: quando game e realidade se confundem' é um livro emocionante que reúne problemas contemporâneas do uso de tecnologias com as antigas e complexas interações familiares.

    Interator é o livro que fala um pouco da vida do protagonista Marcelo. Ele nunca teve um pai presente em sua vida e sua mãe sempre batalhou muito para mantê-lo numa escola particular que fosse minimamente boa, mesmo quando ela estava desempregada e sem ter ajuda de ninguém.
    Um dia, Marcelo, triste por não ter dinheiro para sair com sua “namorada”, descobre um concurso que a Assertiva Software estava fazendo, onde o ganhador levaria para casa milhares de reais. No começo, o protagonista queria ganhar esse dinheiro para ajudar a sua mãe, mas depois de uma briga os planos mudam.
    Nesse meio tempo, dentro da Assertiva, um novo instrumento estava sendo criado; o Mentor. Que era uma câmara de realidade avançada onde o jogador que entrasse nela (chamado de Interator) poderia sentir-se totalmente dentro do jogo.
    Logo quando soube disso, Marcelo decidiu que queria ser um Interator, mas para isso era preciso muito dinheiro; portanto ele tenta ganhar o concurso. Só que as coisas não eram tão simples assim...
    A história do livro é muito boa e em vários momentos, eu me senti dentro do Mentor. Contendo vários termos técnicos, é muito interessante ir descobrindo cada vez mais uma parte da tecnologia que a maioria de nós não conhece. o planejamento.
    Além de que a ideia do projeto Mentor em si é fantástica e com certeza eu amaria viver em um mundo onde esse tipo de tecnologia existisse e fosse acessível a todos.
    Os personagens foram muito bem caracterizados e eu consegui me apegar bastante ao Marcelo. Já que ele era apenas um garoto que precisava de uma atenção paterna que nunca recebeu. 
    Indico bastante esse livro para todas as pessoas, pois ele contém partes de relações familiares abaladas e também bastantes termos tecnológicos. Resumindo em poucas palavras eu diria que esta história é incrivelmente inteligente. Nota 4,5/5.

5 motivos para ler o livro:
1 – A capa é maravilhosa, com códigos binários em alto relevo.
2 – Os geeks de plantão vão amar.
3 – Fala sobre como relações familiares podem ser “consertadas” com amor.
4 – O final é muito bom <3.
5 – Você também vai querer ter um Mentor na sua casa.
    Espero que tenham gostado da resenha e não se esqueça de deixar um comentário e seguir o blog nas redes sociais.

segunda-feira, 27 de março de 2017

Book Haul  dos últimos meses, Janeiro, Fevereiro e Março

Olá pessoal, tudo bem?
Venha conferir o meu vídeo de  book Haul dos últimos meses Janeiro, Fevereiro e começo de março.


Comprando nesses links você ajuda o canal, pois uma pequena porcentagem das suas comprar a loja envia para o canal e você não gasta nada mais com isso.
→ Amazon - http://amzn.to/2efZWsF
→ Submarino -http://compre.vc/s/11150c07
→ Americanas - http://compre.vc/s/aad138e8
→ Livraria Saraiva - http://compre.vc/s/1eee3768
→ Livraria Cultura - http://compre.vc/s/beff7f57
→ Livraria da Folha - http://compre.vc/s/c489f2eb

Espero que tenham gostado desse video e não se esqueça de se inscrever no canal para ser informado dos videos novos.

domingo, 26 de março de 2017

Resenha: Fangirl - Rainbow Rowell

Cather não é uma grande fã de mudanças. Ela já está acostumada com o modo em que vive - estudar, escrever sua fanfiction sobre sua série favorita de livros e se divertir com sua irmã gêmea, Wren. Entretanto, as coisas sempre podem mudar - e foi exatamente isto que aconteceu. O colegial acabou, e está na hora de Cath (seu apelido) sair do ninho e ir para a universidade - mas o fato de sua hora ter chegado, não significa que esteja pronta para este grande passo de sua vida. 
Tudo começa a sair fora dos eixos antes mesmo de se mudar para o dormitório da universidade quando, Wren, sua irmã, se recusa a dividir o quarto com ela; ela argumenta que a faculdade serve, especialmente, para conhecer pessoas novas e se enturmar - o que não inclui andar por ai colada em sua irmã. Triste, mas conformada, Cath conhece Reagan, sua colega de quarto, e as únicas palavras que consegue formular para a garota durante meses são saudações como ''oi'', ''bom dia'' e as vezes até mesmo um sorriso. E, além de sua peculiar e um tanto grosseira colega de quarto,  Cath também conhece Levi, um garoto sorridente e descontraído e consegue lhe causar borboletas no estomago - sensação esta nunca sentida antes, nem mesmo diante de seu namorado do colegial.
Em um mundo nunca antes conhecido por ela, seus medos e aflições nunca estiveram tão a ponto de transbordarem como agora, e tudo o que tinha para se segurar eram suas histórias baseadas nos livros da série ''Simon Snow'', do qual Cath é irremediavelmente apaixonada. Em meio a descobertas, novas amizades e histórias banhadas à magia, Cather nos revela seus maiores medos e segredos, de modo humorado e incrivelmente bem escrito.

Minha opinião:

Mesmo com tantas indicações e resenhas positivas sobre os livros da Rainbow, nunca tive impeto para ler quaisquer uma de suas obras. isto é, até conhecer Fangirl; foi amor a primeira vista com essa capa maravilhosa!
Logo no primeiro capítulo, pude perceber que, assim como eu, Cather é ansiosa e tem certo receio de conhecer novas pessoas. Acabei me identificando mais do que o esperado com a personagens - nos gestos, manias e até mesmos nos gostos.

A única característica que me desagradou no livro foi o final. Quando cheguei ao último capítulo, a ansiedade e tristeza por terminar o livro bateu forte, mas não tanto quanto a decepção de virar a última página e perceber que a história acabaria daquela forma. Deixando claro que não odiei os acontecimentos finais do livro, mas achei que foi algo um pouco fraco levando em consideração toda a história. 
Incrivelmente bem escrito e com aquele toque necessário de humor, Fangirl é o tipo de livro que desejamos nunca ter lido, só para podermos reler novamente, e desfrutar das mesmas sensações novamente!

5 Motivos para ler:

1° A escrita da Rainbow é incrível! 
2° A personagem é gente como a gente: adora Fanfics e tem vários crushs.
3° A linguagem é fácil, e os personagens são um mais amorzinho que o outro! 
4° O livro é volume único ( infelizmente), sendo assim, você não vai precisar correr atrás de outros volumes quando acabar a leitura.
5° O livro tem várias edições, uma mais bonita que a outra! Sendo assim, dá até pra colecionar! haha

sábado, 25 de março de 2017

Resenha: Pecados no Inverno - Lisa Kleypas
    Olá leitores, tudo bem com vocês? Hoje a resenha é de romance de época e o livro da vez é Pecados no Inverno da Lisa Kleypas, já leram?
    Caso ainda não tenha lido confira a resenha para saber do que se trata e a minha opinião sobre a obra, se já leu não deixe de conferir o que eu achei e de me dizer se sua opinião é a mesma que a minha.

    Pecados no Inverno da Autora Lisa Kleypas é o  terceiro livro da série As quatro estação do amor publicado pela editora Arqueiro em 2016, já tem resenha dos do primeiros livros aqui no blog Segredos de uma noite de verão e Era uma vez no outono
    Quem acompanha a série já deve saber que nesse livro teremos a história da Evie, a garota mais tímida do grupo das flores secas, quem ainda não conhece a série ela vai narrar as histórias de amor de um grupo de garotas que estão beirando a solteirice.
    São jovens damas muito bonitas que de alguma forma não se encaixam nos padrões da Sociedade Londrina do século XIX, uma por ser muito pobre, duas por não ter origem nobre, pois ascenderam socialmente em função do trabalho da família e a Evangeline Jenner mocinha desse livro é muito tímida e ainda por cima gagueja.
    Quem conheceu a Evie nos outros volumes da série tomou um susto com a transformação da moça, que foi de ratinha tímida e gaga para uma mulher de fibra e personalidade, capaz de lutar por aquilo que acha correto.
    O pai de Evie fez fama e fortuna como jogador, construiu um clube para cavalheiros que por sinal é o melhor estabelecimento de Londres, a mãe da jovem era uma moça de origem nobre e sua família jamais apoiou a união, quando a mãe morre a garota se vê obrigada a ir morar com seus parentes.
    Sua vida foi um inferno, cresceu sendo reprimida, não podia ir visitar seu pai com a frequência que gostaria, pois sua família não considerava certo uma jovem ser vista em um antro de jogatina. A medida que o tempo foi passando as visitas ao pai se tornaram menos frequentes até deixarem de existir, no entanto as noticias de que seu pai esta muito doente acabam chegando até ela.
    Sua tia sabendo que o pai de Evie esta nas ultimas, proíbe terminantemente que a garota o visite, mas caso seu pai chegue a falecer ela herdará a enorme fortuna que ele construiu na mesa de jogo e sua tia para não perder essa bolada acaba obrigando a jovem a se casar com o gordo e feio primo Eustace. 
    Mas Evie sabia que mesmo se casando com o primo ia continuar  naquela vida medíocre e não ia ter a chance de ver seu pai pela ultima vez. Mas a garota tímida e reprimida decide que as coisas não vão ser desse jeito, que fará até mesmo o impossível para estar com o pai nos seus últimos momentos.
    Reuniu toda coragem que jamais pensamos que ela teria e resolveu bater na porta do maior e mais dissoluto dos libertinos de Londres, o Lord St.Vincent. Conhecemos o referido Lord no livro anterior. 
    Sabemos que ele é belo como o pecado, muito charmoso e encantador, mas não vale o chão onde pisa, inclusive muita gente que leu o livro anterior ficou com muita raiva dele por causa de algumas atitudes que ele teve no final de Era uma vez no outono.
Sebastian, lorde St. Vincent, era o oposto do amante de seus sonhos. Não havia nada de bom, gentil, sensível ou amoroso nele. Era um predador que gostava de brincar com sua presa antes de devorá-la. 
    Evie sabe que ele é um canalha da pior especie, que ele quase arruinou as chances de uma de suas melhores amigas de ser feliz, mas ela também sabe que St. Vincent esta falido e que é capaz de topar tudo por dinheiro,  ele estava a venda e ela iria compra-lo nem que isso fosse a pior besteira que cometeria em toda a sua vida.
    Sebastian St. Vincent a principio não acredita  que a garota que esta na sua frente, a tímida gaguinha do grupo das flores secas esta lhe fazendo uma irrecusável proposta de matrimônio, ela esta disposta a oferecer toda a fortuna que herdará do pai, a qual Sebastian bem sabe que é uma enorme quantia. Em troca ele  devia lhe oferecer sua proteção e a liberdade necessária para que ela passe junto com o pai os últimos momentos que ele tem de vida.
    Sebatian acaba aceitando a proposta, a final não havia saídas para ele, estava pobre e era capaz de atos muito desesperados para manter o padrão de vida que tinha antes, era um libertino acostumado a farras, estilo de vida luxuoso e mulheres belas e caras, além do mais a proposta que a Srta. Jenner lhe oferecia era muito vantajosa, ele teria sua vida de volta.
    Mas a vida surpreende tanto Evie quanto St. Vincent a medida que vão se conhecendo melhor e percebendo que ambos tem qualidades que jamais sonharam que o outro tivesse.
Atônita, Evie o encarou.- Você está... com ciúme?As feições de Sebastian refletiram seu súbito embaraço.- Sim - disse rispidamente. - Parece que sim. E, lançando um olhar para Evie de perplexidade e irritação, saiu do aposento.
    Recomendo a leitura para aqueles que apreciam um bom romance de época, com casais totalmente improváveis, mas que acabam se revelando perfeitos um para o outro.

Minha opinião
    Eu simplesmente adoro um bom romance de época com mocinhos libertinos, mas libertinos mesmo como o St. Vincent, não aqueles pseudo-libertinos que na realidade são perfeitos cavalheiros.
     Mas o Sebastian apesar de toda a sua beleza avassaladora e charme encantador me fez ficar com um ódio violento no final do segundo livro da série por conta das canalhices que ele fez, mas nada como uma mocinha porreta como a Evie para colocar ele na linha.
    A Evie realmente coloca o cabresto nele quando decide que as coisas vão acontecer do jeito que ela quiser. O St. Vincent realmente precisava de uma mulher como a Evie para lhe mostrar que a vida que ele levava antes era extremamente vazia, que sua beleza e o seu charme não são as únicas coisas boas que ele tem.
     Amei a evolução de ambos os personagens nesse livro, não pensei que a Evie fosse se revelar uma mocinha tão forte, decidida e confiante como se tonou, nem que o Sebastian se transformasse de vilão a príncipe encantado, compreensivo e amoroso no qual se transformou.
    Pecados no inverno se  tornou o livro favorito da maioria das pessoas que leram a serie, eu adorei a escrita da autora nesse livro que diferente dos outros é mais focado nos dois personagens principais e não tem tantas aparições dos personagens secundários como teve nos dois volumes anteriores, no entanto o segundo livro ainda continua sendo o meu favorito e esse acabou ocupando o segundo lugar, apesar de ter amado muito.
    Como eu disse anteriormente recomendo demais essa obra, aliás a série inteira é excelente para aqueles que estão se aventurando pela primeira vez nesse universo encantado dos romances de época, garanto que essas histórias vão ganhar o seu coração assim como ganhou o meu.

quinta-feira, 23 de março de 2017

 Faça você mesmo - DIY Ideias de organização e marcadores personalizados
    Olá pessoal, tudo bem?
    Hoje trouxe algumas ideias para deixar o seu cantinho de trabalho ou estudo e os seus marcadores de livros com a sua cara. São dicas muito simples e fáceis de fazer, eu ia até gravar um vídeo com o passo a passo dessas ideias, mas como estou gravando pelo celular a qualidade de imagem não fica tão boa quanto gostaria, então acabei optando por explicar tudo nesse post mesmo.
    A primeira dica são marcadores personalizados de tecidos, são super fáceis de fazer e ficam muito lindinhos.
Você vai precisar de:
- Moldes: Tem vários modelos que você pode estar escolhendo, mas eu acabei optando por esses vestidinhos e o corpete, vou deixar o link para os moldes AQUI e AQUI. Em ambos você irá precisar recortar  a frete e o verso em tecido ou feltro.
- Feltro nas cores e estampas de sua preferência: Ele é a base do vertido, você também pode utilizar tecidos que sejam mais durinhos ou EVA.
- Agulha e linha: Para costurar o elástico e unir afrente e o verso do vestidinho.
- Elástico: Use a medida do livro para recortá-lo, você Também poderá comprar elásticos de cores variadas.
- Enfeites: Aqui você usa sua criatividade e preferência, pode usar fitas de cetim coloridas, botões, lacinhos, miçangas, perolas e vários outros tipos de enfeites.
    Existem vários videos no youtube ensinando a fazer marcadores nesse modelo, caso tenha alguma duvida de como montar tudo certinho assista a esses vídeos que foram os mesmo que aprendi a fazer os vestidos.  
- Vestido de tecido + feltro: AQUI.
- Vestido de tecido: AQUI.
- Vestido de EVA: AQUI.
    Esse outro marcador também é super fácil de fazer e você vai precisar de pouquíssimos materiais:
- EVA preto para a base do Mikey.
- EVA vermelho para a calça.
- EVA amarelo para os botões.
- Cola quente ou cola instantânea.
     Para retirar as medidas você irá precisar de um objeto circular com o diâmetro de 4,5 centímetros, uma moeda de 25 centavos daquelas douradas para servir de moldes para as orelhas. Eu  aprendi a fazer com esse vídeo AQUI.
    Outra dica bem útil para quem quer se organizar e não dispões de muito espaço, precisa ter seus compromissos sempre no campo de visão para poder  lembrar. Te recomendo que faça um mural de recados de porta-retrato, utilizando post ists coloridos para anotar os recadinhos.
Você vai precisar de:
- Um porta retrato: o tamanho pode variar de acordo com sua necessidades, eu queria um maior, porém o que encontrei mais em conta foi esse simples que achei naquelas lojas de 2,99. Esse meu não tem vidro, mas sim um plastico imitando vidro, o ideal é que seja de vidro que fica mais facil de apagar as anotações.
-Post its coloridos: Eu utilizei diversos formatos como puderam perceber, mas você pode fazer de acordo com os materiais que você tem ai na sua casa.
- Mini prendedores: Esses itens são dispensáveis, mas eu colei nas molduras esses de coração para dar um charminho e também para ter um lugar extra para prender recados importantes.
- Canetinhas ou marcador permanente:Você vai precisar desse itens para escrever seus recados, eu comprei essas canetas para retroprojetor que tem pontas finas e mais praticas na hora de escrever nos post its por cima do vidro.
    Eu pintei a moldura de banco, pois a cor que ela tinha não era muito bonita, retirei a parte de trás do porta-retrato, aquela base se madeira, colei os post its mais finos e compridos para nomear os dias da semana e os post its maiores para anotar os recados.
    Como puderam perceber o espaço para anotar os compromissos de domingo ficou diferente e menor que os outros, porém atendeu as minhas necessidades, pois no domingo eu não tenho muitos compromissos é um dia que tenho livre para fazer as coisas que gosto.
    Você também pode optar por retirar o vidro ou plastico do porta-retrato e anotar seus recados com canetas normais que usamos para escrever, depois que cumprir esse compromisso pode substituir os post its por outros com recados diferentes.
    Eu optei por manter o plástico, pois assim economizo meus post its kkkk. Eu adorei essa ideia do mural de recados no porta retrato porque podemos brincar com as cores e deixar nossa escrivaninha bem mais bonita e decorada.

    Espero que vocês tenham gostado das dicas de hoje e que possam reproduzi-las ai na sua casa. Não se esqueça de deixar um comentário e nos seguir nas redes sociais.

terça-feira, 21 de março de 2017

Resenha Nacional: Luz e Sombra - Anaté Merger
    Olá Leitores, tudo bem com vocês?
    Hoje é dia de resenha nacional e o livro da vez é um romance sobre viagem no tempo, cuja narrativa mescla presente e passado, o que é ainda melhor a trama vai se passar aqui no Brasil no período Imperial. Curiosos? Então confira a resenha e a minha opinião sobre a obra.


    Luz e sombras é o lançamento da autora nacional Anaté Merger, foi lançado na Amazon em e-book de forma independente e também já ganhou publicação física pela editora Bezz no selo Leque Rosa.
    Conforme eu havia dito na introdução desse post se trata de um romance sobre viajem no tempo, desse modo teremos a história dividida basicamente em duas partes, a atual no Rio de Janeiro 2016 e a histórica que será ambientada em um navio que partiu do Brasil para a Europa em 1873.       
    O protagonista principal é o Engenheiro Virgílio que esta prestes a comprar uma antiga propriedade chamada Inocência que no século XIX era uma fazenda de café propriedade do Barão Antunes, mas que agora havia sido transformada em uma pousada. Ele se encantou pela beleza e arquitetura do lugar e resolveu fazer o investimento, no entanto sua noiva Clara é super contraria a ideia dele comprar a propriedade rual no meio do nada.
    O relacionamento entre ele e Clara não andava bem desde o cruzeiro que fizeram quando foram padrinhos de casamento de um casal de amigos, durante essa viagem o rapaz sofreu um acidente e algumas coisas mudaram em sua vida, inclusive sua paixão por Clara que já não era a mesma, eles combinavam muito no sexo, mas parecia que era só isso.
    Quando virgilio decide comprar a fazenda Inocência, leva Clara junto para passar um tempo só os dois e tentar reavivar o relacionamento, no entanto Clara é uma garota mimada, essencialmente urbana e não se adapta muito bem ao lugar.
     Mas ao contrário dela Virgílio se sente muito bem lá, como a muito tempo não sentia e quando conhece a obra de arte mais famosa da Fazenda/pousada ele fica encantado com a pintura que retrata as duas filhas gêmeas do Barão Antunes, as garotas retratadas estavam saindo da adolescência para a vida adulta e segundo a proprietária do Imóvel o quadro se chamava "Gêmeas em flor".
    As duas garotas retratadas eram muito parecidas fisicamente, mas mesmo pela pintura era possível identificar que tinha personalidade distintas, Olivia Antunes era extrovertida em sua pose no quadro, enquanto a irmã Olympia era nitidamente mais tímida com o rosto parcialmente escondido por um leque, mas Virgílio notou que aqueles olhos eram tão vividos que pareciam estar olhando especialmente para ele.
    O rapaz se encantou pela pintura, principalmente por Olympia a mais tímida, porém mais expressiva, procurou saber o máximo que podia sobre a história da moça, leu vários artigos, livros e inclusive uma bibliografia completa da fazenda escrita por uma descendente ainda viva de Olympia.
    Um acontecimento acaba levando Virgílio a pensar que talvez não seja coincidência ele estar ali, seu fascínio pele moça do retrato que vivera séculos antes dele e a sensação de que a conhecia de alguma forma.
"Virgílio voltou a encarar Olympia como se ela fosse única, o que realmente era para ele, e tocou nos lábios da moça com suavidade."
    O engenheiro ficou ainda mais obcecado pela moça o que o levou a procurar a autora do livro com o mesmo titulo da pintura "Gêmeas em flor" e também descendente da família do Barão. Após conversar com essa senhora eles acabam descobrindo algo muito importante que pode mudar a vida de Virgílio.
    Preciso parar por aqui caso contrário acabarei soltando alguns spoilers, mas já adianto que essa história é cheia de reviravoltas, acontecimentos surpreendente e totalmente imprevisíveis que nos deixa curiosos e ávidos para saber até onde a história vai chegar, como tudo vai se desenrolar e o que esperar do final.
    Nesse livro surpreendente, incrível e muito bem escrito você leitor vai encontrar de tudo, romance, traição, suspense e um final de arrancar o coração do peito e coloca-lo de volta no lugar.
"Nem o tempo pode nos separar."
Minha opinião

    Comecei lendo esse livro toda despretensiosa achando que ia encontrar só mais um romance de época do jeito que gosto com viagem no tempo, paixões tórridas, muito romance fofo em um cenário maravilhoso que é o nosso Brasil do século XIX.
    Mas esse livro me surpreendeu bastante, não pensava em encontrar uma trama tão bem elaborada, cheia de mistérios e traições que fez a minha cabeça dar um nó tentando resolver esses mistérios.
     E quando achava que tinha resolvido alguma coisa a autora ia lá e colocava mais um ingrediente na massa e me deixava formulando milhões de teorias sobre como o Virgílio iria viajar no tempo e quando isso aconteceu foi completamente inesperado, de uma forma muito inusitada.
    Após a viagem no tempo começou a chover peças minusculas de um quebra cabeça gigante de acontecimentos para que eu tentasse montar e falhasse terrivelmente kkkk, mas quando chegou lá pelos 80% de leitura minha mente começou a enxergar uns vislumbres de como tudo se resolveria no final, me orgulho de dizer que minha teoria conseguiu chegar em 40 % de acerto sobre a resolução final kkk.
    Porém teve alguns pontos que me incomodaram um pouco, eu achei que o Virgílio de apaixonou muito rápido pelo retrato da Olympia e também que ele se acostumou ao século XIX rápido demais para o meu gosto.
    Outro ponto foram duas personagens que pareciam saber de tudo e ter uma resposta para tudo o tempo todo que foi a Helena e a Severa, aquele tipo de personagem que conta a história sem ter estado lá, as donas da verdade, mas sei que é implicância minha e que muita gente vai adorar as duas.
    É notável que a autora fez um bom trabalho de pesquisa histórica para escrever o romance, encontrei em diversas passagens as evidencias dessa pesquisa. Mas como a parte da narrativa de época se passa em um navio não temos tanto contato com a cultura brasileira da época, apenas o básico para o bom andamento da história.
    Sempre digo que quero mais autoras nacionais escrevendo romances de época sobre o  Brasil e a Anaté Merger soube explorar muito bem esse período da vésperas da abolição da escravatura, introduzindo personagens históricos como Joaquim Nabuco. Além disso ela criou personagens com aquele jeitinho brasileiro que é único.
Avaliação: Minha nota para esse romance é Nove e cinco estrelinhas no Skoob.

Compre o E-book na Amazon AQUI.

Não se esqueça de deixar um comentário me dizendo o que achou da resenha, se já leu ou pretende ler esse livro e siga o blog e nossas redes sociais.

domingo, 19 de março de 2017

Resenha:: Raio de Sol - Kim Holden

Kate Sedgwick é uma grande fã da vida. Ela gosta de aproveitar o presente como se não houvesse um amanhã, e é isso que ela faz desde sempre. Para ela, não há nada de tão ruim que não possa ser concertado ou que não tenha um lado bom de se olhar. Afinal, não é atoa que Gus, seu melhor amigo desde a infância, tenha lhe dado o apelido de Raio de Sol - o que, por sinal, faz jus a seu espirito.
Entretanto, quem a vê sequer deve imaginar que uma garota como Kate vem de uma família-problema, começando pelo abandono do pai que sequer chegou a conhecer, e uma mãe com problemas mentais sérios e com uma inclinação para o álcool. Mas mesmo tendo passado por maus bocados, ela nunca deixou sua positividade de lado e sempre tentou ver o melhor das pessoas. 
Mas até mesmo pessoas como Kate tem segredos.
Após se mudar de San Diego, na Califórnio, para Grant, em Minnesota, Kate leva consigo apenas as boas lembranças e faz o que sabe de melhor: aproveita a vida. 
Apesar dede ser uma grande fã das surpresas - positivas, é claro- que a vida trás, Kate não esperava que iria encontrar em seu novo lar o que ela nunca teve antes: o amor, no sentido mais romântico da palavra. 
Keller Banks é um sujeito simpático e encantador, capaz de arrancar sorrisos - principalmente femininos- por onde passa. Sua beleza externa é apenas o reflexo do que ele é por dentro: gentil, amoroso e confiável. Quando o rapaz põe os olhos em Kate pela primeira vez, seus pulmões perdem o ar e tudo o que lhe vem a mente é o quanto ela é magnifica - ele sente amor. 
Eles se amam.
Eles fazem planos em suas cabeças.
Eles querem ficar juntos.
Mas então a realidade bate-lhes a porta para lembra-los mais uma vez de que contos de fadas não existem, mas a vida real sim - e isto inclui os segredos que guardam e que precisam ser mantidos a sete-chaves das pessoas que amam.


Minha opinião:


Nem mesmo uma resenha de 15.000 palavras poderiam expressar o quanto este livro me emocionou. Eu ri, senti, chorei e chorei mais ainda - exatamente nesta ordem.
Kate faz jus ao apelido Raio de Sol; ela é divertida, animada e consegue encontrar a felicidade nas coisas mais banais do cotidiano. Ela se importa verdadeiramente com as pessoas, até mesmo aquelas que não merecem seu afeto e sua atenção. Ela é viva de espirito, de alma, de vida.
Keller é controlado e reservado, mas não faz esforços para esconder quando gosta e simpatiza com alguém. Ele tem seus mistérios e seus momentos de seriedade, mas é visível a mudança de rotina e comportamento assim que conhece Kate. Ele é justo e se importa verdadeiramente com as pessoas.
Gus é simplesmente o melhor amigo de todos os tempos. Apesar de ser praticamente um astro do rock, ele não deixa a fama subir pela cabeça e continua sendo o mesmo cara brincalhão, gentil, engraçado e amoroso de sempre. Se eu tivesse tido um tempo durante o turbilhão de emoções e lágrimas durante a leitura para crushar algum personagem, com toda certeza seria ele.

Um dos pontos que mais me tocaram, foram as descrições de Kate sobre a convivência com sua mãe e a doença que a mesma carregava. Nestes momentos, minha vontade era a de entrar nas páginas e abraça-la.


''Quando não tomava os remédios, não era ela mesma, e quando tomava os remédios, não era ela mesma. Doença mental não é brincadeira. Havia vezes em que ela era amorosa e gentil. No restante do tempo, era furiosa e indiferente. A raiva e a indiferença são totalmente diferentes, mas quando você é uma criança qualquer uma dessas duas coisas vai partir seu coração."

A história é bem escrita, e a narrativa se alterna entre as perspectivas de Kate e Keller, o que tornou tudo ainda mais apaixonante. Kim Holden conseguiu me arrancar sorrisos e lágrimas com tanta facilidade, que estou pensando seriamente em pedi-la em casamento apenas para poder dar uma olhada em seus outros projetos. 

5 Motivos para ler:

1° A escrita da autora é viciante, e é impossível largar o livro antes de termina-lo.
2° Kate é apaixonante: ela é vida em todos os sentidos, divertida e inspiradora.
3° Os personagens são divertidos e simpáticos; nesse livro não há espaço para protagonistas rancorosos ou sem coração.
4° A Kim é simplesmente um amor de pessoa, e é muito atenciosa com seus fãs! ♥
5° O livro é emocionante e um dos que mais me fizeram chorar! 

@marycspblog