Resenha: Engano Irresístivel - Vi Keeland

Autor: Vi Keeland
Páginas: 336
Ano: 2018
Editora:  Universo dos livros
Gênero: Romance contemporâneo, Erótico
Compre: Amazon
Nota: 5 ❤/5
Sinopse
Um novo sucesso erótico da autora best-seller do The New York Times — Vi Keeland! A primeira vez que vi Caine West foi em um bar. Ele notou que eu o estava encarando e deduziu que fosse um flerte. Quando veio falar comigo, coloquei-o na linha, exasperando tudo o que eu pensava sobre ele ser um mentiroso, traidor e egocêntrico. Sabe, aquele delicioso canalha havia levado minha amiga para jantar; depois, foram para cama e ele nem sequer mencionou que era casado. Por isso, merecia cada xingamento que saía da minha boca. Quando terminei, um sorriso preguiçoso se expandiu em seu rosto perfeito em resposta ao meu sermão. Só então percebi que o homem para o qual eu vociferava impropérios não era o cara certo. Ops. Lindo engano. Com vergonha, saí sem me desculpar e achei que nunca mais veria o estranho bonitão na vida, certo? Foi o que pensei… Até chegar à aula na manhã seguinte… Olá, professor West, sou sua nova assistente. Trabalharei diretamente abaixo de você… no sentido figurado. Embora trabalhar debaixo do professor West não fosse 


"Engano irresistível" é um romance hot, estilo new adult, bem gostosinho, com sensualidade na medida certa, uma boa dose de drama e uma trama irresistível.

Li esse livro no ano passado, mas fiquei enrolando para resenhar kkk, adorei a trama que a autora criou, sege um pouco aquele estilo "aluna que se apaixona pelo professor e vice versa", e eu gosto bastante dese tipo de premissa. 

Rachel conhece Caine de uma maneira bem inusitada, ela e uma amiga estão em uma festa e essa amiga começa a chorar a pitangas dizendo que descobrira que o cara com quem ela estava saindo era casado e estava ali na festa. 

Rachel fica indignada pelo salafrário ter mentido para a amiga e pede para ela mostrar quem era o cara. Então ela não perde tempo em esculachar o tal Cara Casado, fala poucas e boas para ele, que parece não entender nada do que está acontecendo.

Após desabafar jogando tudo na cara do patife, ela acaba descobrindo que abordara o cara errado. Imagina só a situação, ela não sabia onde enfiar a cara e com razão.
Tenta agir como se nada tivesse acontecido, a final nunca mais veria o dito cujo.

Rachel estava super atrasada para a aula com seu novo orientador no mestrado. Queria passar uma boa impressão para o professor West, que todos diziam que era difícil de lidar.

Ao chegar na sala de aula, adivinha quem estava lá?

Sim, o falso Cara Casado do bar, e o pior de tudo: ele era o Professor West.

Claro que o primeiro encontro deles vai refletir um pouco no relacionamento aluna × professor, Caine West sabia ser sexy e chato quando queria, diversas vezes acaba tirando Rachel do serio.

Mas desde o principio a gente já nota que existe uma química bem forte entre eles, que só vai intensificando a medida com que vão convivendo.
Pensei que essa historia seria bem clichê e previsível, mas me surpreendi bastante com o desenrolar da trama. 

Ambos os personagens tem um passado consideravelmente traumático e isso reflete muito na personalidade dele. E conforme a historia foi avançando percebi que eles tinham muito mais em comum que imaginava.

Algumas das cenas mais lindas do livro acontece quando a Rachel está conduzindo seu trabalho de tese, que tinha o objetivo de estudar como os idosos com Alzheimer reagiam ao estimulo música. É lindo demais o trabalho que ela faz com um idoso de lá do centro onde ela estava realizando a pesquisa. 

Eu recomendo demais essa história vale muito a pena ler. Adorei cada minuto que passei na companhia desses personagens dessa história.

Pin It
3

Resenha: Pôr do sol no Central Park – Sarah Morgan

Nome: Pôr Do Sol no Central Park
Autora: Sarah Morgan
Editora: Harlequin
Ano: 2018
Página: 368
Nota: 5/5
Sinopse
Após o grande sucesso do livro Amor em Manhattan, Sarah Morgan retorna às livrarias brasileiras com este novo romance da série "Para Nova York, com amor", que vai aquecer seu coração. Frankie Cole e suas duas melhores amigas inauguraram um novo negócio em Manhattan que está sendo um sucesso. Frankie é designer e ama trabalhar com paisagismo de jardins suspensos nos telhados dos arranha-céus da cidade. Entre amizades verdadeiras e um trabalho gratificante, ela tem tudo para ser feliz. Frankie nunca deu muita atenção às relações românticas, sempre preferindo focar em si e no trabalho. Ela e Matt, irmão de sua melhor amiga, se conhecem há anos, mas nunca tiveram nada além de amizade. Até que ele descobre novas coisas sobre a mulher que pensou conhecer tão bem, e decide que não quer passar mais nenhum dia longe dela. Matt sabe que Frankie se mantém segura por trás de sua barreira emocional, mas será fará de tudo para superar os bloqueios conquistá-la.
Frankie Cole é uma jovem que mora em Nova York e há pouco tempo se aventurou com suas melhores amigas, Paige e Eva em uma empresa de concierge, a Gênio Urbano. As três garotas moram no prédio do irmão de Paige, Matt.
Devido a um passado bem traumático, Frankie não acredita em amor para sempre e foge de querer se apaixonar.
Amante de plantas e flores, ela acaba aceitando ajudar Matt em uma construção de um ambiente. O irmão de Paige é um homem sexy e gentil, além de ser um ótimo e bem sucedido arquiteto.
Os dois tem uma grande amizade há mais de vinte anos e agora admitem que existe um sentimento a mais, mas, por causa dos medos e inseguranças da jovem, ele terá que ser paciente, pois lidar com traumas é bastante complicado.
Após enfrentar um dos seus maiores medos e ir ao local onde nasceu para participar de um casamento com Matt, eles se entregam a paixão e acabam ficando juntos.
Com o passar do tempo eles vão levando este relacionamento-não-relacionamento e descobrem que os sentimentos, traumas e medos podem nos fazer perder as melhores coisas.

Quando li Amor em Manhattan, não tinha percebido que se tratava de uma série de livros, só fui descobrir quando fiz algumas pesquisas para resenhar o livro. Eu estava estranhando que a autora deu a entender que havia algum sentimento diferente entre Matt e Frankie, mas não desenvolveu a história. Quando descobri que teria o livro protagonizado pelos dois personagens, me senti uma “Sherlock Holmes” por ter percebido algumas pistas que a escritora deixou. 
Como falei na resenha anterior, me identifiquei muito com Frankie, por ter este jeito mais cético e desacreditado do amor. A autora conseguiu colocar bastante verdade nesse medo de relacionamentos da garota.
Um ponto negativo, assim como no livro anterior, são as cenas de sexo (isso em minha opinião, é claro!), mas a autora sabe narrar bem estes momentos.
Me surpreendi com a quantidade de páginas do livro, mas li rapidamente. Quanto à capa, posso dizer que é a mais bonita da minha estante, é simplesmente apaixonante e o marcador de páginas?? Encantador!
Fico no aguardo da história de Eva, mesmo prevendo que será um livro bem meloso, considerando a personalidade da personagem.
Se quiser ler uma história fofa, sugiro este livro e os demais desta série.


Pin It
0

Resenha: Á sua espera - Abbi Glines

Nome do livro: À sua espera
Autora: Abbi Glines
Editora: Arqueiro
Ano: 2016
Páginas: 288
Nota: 5 + ❤
Sinopse:

Mase sempre preferiu a vida simples em seu rancho no Texas à agitação do mundo do pai em Rosemary Beach. Na verdade, ele quase nunca visita o famoso astro do rock e Nan, sua meia-irmã mimada e egoísta. Mas tudo muda quando conhece uma das empregadas da casa, uma garota linda que, sem saber da presença dele, o desperta com seu canto desafinado.Depois de anos sendo maltratada pela família e pelos colegas por causa de um distúrbio de aprendizagem, Reese conquistou sua liberdade e mora sozinha trabalhando como diarista para as famílias ricas da cidade. No entanto, seu sustento fica ameaçado quando ela causa um acidente na casa de Nan Dillon.Ao ser salva por Mase, um rapaz atencioso e com charme de caubói, Reese fica surpresa pelo gesto dele e, depois, apavorada quando ele demonstra interesse nela. Nunca na vida Reese conheceu um homem em quem pudesse confiar. Será que Mase pode ser diferente?Nessa ardente paixão que nasce entre a doce e batalhadora Reese e o centrado e sexy Mase, Abbi Glines mais uma vez mescla tristezas da vida real com amores de contos de fada e nos faz suspirar até a última página.


"À sua espera" foi um dos melhores new adults que li em 2018.
O que me chamou a atenção foi a capa maravilhosa, com esse cowboy lindo. Vocês sabem que eu não resisto a um bom livro sobre cowboys.
Tinha um pouco de preconceito com a escrita da Abbi Glines, uns amavam, outros desciam a lenha e por isso nunca tinha pegado nada dela para ler.
Decidi me render a essa historia e foi uma das melhores coisas que eu fiz, que romance lindo!
É uma historia linda sobre superação, me emocionei bastante com a protagonista, Reese.
Reese acreditava ter algum tipo de retardo mental, sua família sempre reforçou que ela era burra, por não conseguir ler ou aprender como uma criança e adolescente normal.
As suas limitações só serviram para que ela se fechasse ainda mais em seu casulo interior, achava que não teria nenhum futuro na vida além de trabalhar como doméstica, ou em qualquer outra atividade que não exigisse esforço intelectual.
" E por esse motivo eu sabia que minha mãe, meu padrasto e todas as crianças da escola tinham razão: eu era burra. Só podia ser. Meu cérebro não funcionava como o de todo mundo. Eu tinha 22 anos e ainda ia à biblioteca pegar livros ilustrados para tentar lê-los"
O que mais me emocionou nesse livro foi que, apesar de todas as limitações de Reese, ela é uma guerreira, forte que não desiste dos seus sonhos.
Ela conhece o Mase, o tal cowboy texano gato da capa, quando vai trabalhar de diarista, limpando a casa da Nan, megera master de Rosemary Beach.
Ela se assusta ao perceber que tem gente na casa, principalmente quando vê o suposto irmão da sua patroa, um tremendo gato.
Mase não é só gato, também e gente boa para caramba. Ele fica super intrigado com Reese, uma menina linda, jovem, que poderia estar cursando uma faculdade e garantindo o futuro.
Não demora muito para que ele descobrir que ela esconde algo, e quando ele descobre o problema de aprendizagem dela, move céus e terra para ajudá-la.
Na realidade a Dislexia que não foi diagnosticada nem tratada na infância, causou um monte de transtorno na vida dela. E ainda tinha o problema com o padrasto abusivo, a pobre garota sofreu um bocado na vida, a sorte dela é que Mase apareceu na sua vida para ajudá-la.
" Ele não sabia, mas havia me dado esperanças. E me mostrado que nem todos os homens são maus."
A escrita da Abbi é uma delícia, leve, romântica e divertida, do tipo que deixa a gente com um sorriso bobo no rosto.
Estou louca para ler a continuação da historia desse casal em " Ao seu encontro".

Recomento muito a leitura, acho que vocês também vão se apaixonar.



Pin It
1

Resenha: As Garotas de Corona Del Mar - Rufi Thorpe

Nome do livro: As Garotas de Corona Del Mar
Autora: Rufi Thorpe
Editora: Novo Conceito
Ano: 2017
Páginas: 288
Nota: 4/5
Sinopse:
Amizade entre garotas pode ser intensa e, no caso de Mia e Lorrie Ann, não há dúvidas de que isso é verdade.
À medida que crescem, a vida de Mia e Lorrie Ann é preenchida com praia, diversão e passeios ao shopping.
Por outro lado, como toda amizade, há conflitos e dores.
Mia e Lorrie Ann convivem há muito tempo e possuem personalidades opostas. Mia é a bad girl , vivendo em uma família problemática. Lorrie Ann é linda e amável, quase angelical, e tem uma família que parece ter sido arrancada de um conto de fadas.
Mas, quando uma tragédia acontece, a vida perfeita sai fora de controle...
 


A escritora Rufi Thorpe traz a história de duas amigas, Mia e Lorrie Ann, narrada sob a visão de Mia.
As duas garotas cresceram em Corona Del Mar, um pequeno vilarejo na Califórnia. Lorrie Ann era invejada pelas amigas de escola, pois além de bonita e gentil, tinha uma família perfeita e com muito amor.
“Na estreita enseada do nosso bairro dos anos noventa na Califórnia, não havia garota mais perfeita do que a Lorrie Ann Swift, não tanto por ela ser extraordinária, mas porque ela era normal de uma forma que nos superava. Os pais a amavam, e ela os amava.”
Enquanto isso, a rebelde Mia era filha de pais divorciados, com uma mãe alcoólatra e muitas vezes, precisava cuidar de seus irmãos mais novos.
“- Sabe quem você realmente não vê nunca? Seus filhos. Por que foi ter os dois?Você obviamente não se importa com eles.”
Percorrendo através da vida das duas, vemos que nem sempre o que parece perfeito é, mesmo porque, sabemos que perfeição não existe.
Após a perda de seu pai Terry, na adolescência, a vida de Lorrie Ann parece desandar totalmente. Com dezessete anos, ficou grávida e ao contrário de sua amiga, que tempos antes resolveu abortar, ela quis ter o filho e se casou com o pai da criança, Jim.

Após vários problemas no parto, seu filho Zach nasce com paralisia cerebral. Para garantir um bom plano de saúde para o filho, Jim vai para o exército, onde morre quando Zach tinha apenas seis anos.
Enquanto isso, Mia vai para a faculdade de Yale e após se formar, vai trabalhar em Istambul com o namorado Franklin. Ela tinha um pequeno defeito de se sabotar, dizendo que não merecia as coisas boas que aconteciam com ela, pensava que Lorrie Ann merecia mais do que ela.
Nos anos pós-morte de Jim, parece que a doce e angelical Lorrie Ann mudou drasticamente, tomando atitudes que para Mia eram egoístas.
“ Também ficou claro, de repente, que a Lorrie Ann nunca me amou como eu a amei. Eu achava que ela tinha ficado afastada de mim por vergonha: sabia que eu desaprovava as drogas, o estilo de vida dela, por isso tinha ficado afastada.”
No final, talvez esta grande amizade, com o tempo e a distância, tenha diminuído em sua intensidade.

Quando vi a capa do livro, pensei que a história se tratava de duas mulheres (imaginei que teriam uns 50 anos), bem sucedidas, casadas, com filhos e relembrando o passado em um belo lugar. Só posso dizer que me enganei.
No inicio da história, pensei: “Nossa, essa Mia é muito invejosa!!!”, mas no decorrer da leitura, posso dizer que simpatizei mais com ela do que com a Lorrie Ann.
A história é bem interessante e aborda vários assuntos atuais e polêmicos, como aborto, drogas, estupro.
Além de se passar em Corona Del Mar, a narrativa se passa por lugares como Istambul e India.
Falando sobre a estética do livro, como eu já disse, a capa me enganou , mas é muito bonita. A diagramação e a fonte são agradáveis.
Recomendo a todos a leitura deste livro lançado pela editora Novo Conceito.



Pin It
0

TAG: Época de Natal e livros


Oii amigas e amigos leitores, tudo bem com vocês.
Estou um pouco atrasada para responder a essa TAG  ( #épocadenatalelivros), mas ainda estamos no clima de festas de fim de ano e essa TAG tem tudo a ver com isso. 
Espero que vocês gostem e respondam no IG de vocês também, quero muito ver as respostas.
1- Arroz com passas: Livros que todo mundo odiou, mas você amou (ou o contrário).
Uma série de livros que divide opiniões é a Rosemary Beach da Abbi Glines, quase todo mundo que eu conheço odiou o casal Blaire e Rush, mas eu li dois livros desse casal e 3 livros de outros casais dessa série e amei demais. São livros estilo new adult, com uma pitada hot que eu adoro.
2- Amigo secreto, livro que você está doida para ganhar ou comprar.
Tem vários kkk. Mas quero muito "Um marido de faz de conta" da Julia Quinn, estou com as expectativas lá na lua para esse livro.
3-Família: Séries que moram no seu coração.
Como não mencionar os Bridgertons e os Hathaways? Eles são os melhores sempre.
4- Tia intrometida: Crushes literários que você tem ciúmes.
Os mocinhos da Lisa Kleypas são todos meus amores, Cam, Kev, Leo, Harry, Simon, Westcliff, St. Vincent, Matt, Rhys. E vários outros de outras autoras maravilhosa.
5- Micos de fim de ano: Livros em que personagens passam vergonha alheia e você se acabou de rir.
Uma dama fora dos padrões, com certeza , morri de rir com a Billie e com os irmãos Rokesby. Foi um dos livros mais divertido que li nesse ano.
6-Presentes: livros que você ganhou, mas ainda não leu.
São vários, mas o que eu tenho muita vergonha de não ter lido ainda é O despertar do Lirio da Babi A. Sette.
7- Cartão de natal Livros com personagens que se correspondem por cartas/ mensagens.
Vou mencionar a Beatrix e o Christopher, amo demais a Beatrix desde o primeiro livro da série, passei boa parte do livro odiando o Chris, mas acabei perdoando porque a Bea é lacradora e "Paixão ao entardecer" é sensacional.

Pin It
0

Resenha: A dupla vida de Dadá - Moela Vilela

Autora: Moema Vilela
Editora: PENALUX
Ano: 2018 
Páginas: 72
Gênero: Micro Contos
Nota Skoob: 4/5
Sinopse:
Moema Vilela faz uma escrita plural, cosmopolita, no sentido de conseguir, sinteticamente, trazer para suas formas breves, de minificções, uma abrangente variedade de temas, de personagens, de criatividade.
Não existe pudor e limites para os seus “escolhidos”, seus protagonistas, narradores. Uma pomba marginalizada e discriminada, pode ter o direito a contar a sua história, o menino que é técnico de informática, a mulher que em meio a folia perde o seu sentimento de vergonha.Esta flexibilidade e, esta quase ambição, atenderam e cumpriram o desafio de mostrar quantas são as vozes no mundo, e como elas podem, ser percebidas na simplicidade das narrativas breves. Este livro é fascinado por temas e várias perspectivas, permeado por intertextualidades.
Alguns dos seus contos curtos, são tão incomuns que chegam a falar até mesmo das sopas, mas não de maneira ingênua, e sim, aproveitando a inusitada protagonista para ensinar ideias, teorias criativas e distintas, neste caso, “a sopa” pode referir-se ao processo de produção de textos, “casca-se ali, corta-se aqui, mistura-se tudo”.
Este toque flexível, humorístico, grave e plural demonstra que, muito se pode falar, desde que se observe o andamento da natureza e do mundo, sendo que, tendo esta ideologia em mente, alcança-se os mais diversos objetivos: traz-se alegria, reflexão, crítica e opinião.
Em A dupla Vida de Dadá, a escritora traz uma seleção de minicontos, subdivididos em três partes.
Segundo Moema declarou a Revista Arte Brasileira, “...a primeira parte traz minicontos com foco na narrativa mesmo, mais sintéticos e diretos, com mais humor. Na segunda, há uma maior variação de tom, e uma minificção mais lírica. A terceira parte é bem breve e traz três textos que flertam com mais experimentação formal.”. 
Como dito pela escritora, os contos da primeira parte são mais diretos. Destaco que ela usa em alguns momentos coisas e experiências cotidianas para formular suas pequenas histórias, como por exemplo em “Pomba Engajada” e “Debutante”, este último, foi escrito em um momento em que estava em uma fazenda, com seu namorado, observando estrelas. Esta primeira parte é a maior em tamanho de contos, tendo um total de 35.
Na segunda parte de seu livro, os contos aumentam um pouco de tamanho e aparece o conto que dá nome ao livro. Sérgia Ribeiro da Silva, a Dadá, que tão nova foi raptada e acabou se casando com o algoz, se tornou uma cangaceira de destaque no grupo de Lampião, por não ter medo de usar um fuzil. A mulher lutou para que os mortos do seu grupo pudessem ter o respeito que merecem. A segunda parte traz 23 contos e posso dizer que o meu preferido, “O MITO DO JOVEM RAPAZ DOTADO DE UM CELULAR COM CÂMERA” está neste grupo. O que mais me chamou a atenção foi o fato de mostrar uma realidade dos dias de hoje em que as pessoas passam tanto tempo tirando fotos de lugares e situações diferentes e acabam esquecendo-se de viver tudo isso.
Na terceira parte trouxe algumas coisas interessantes, como por exemplo, as diversas facetas do “estar sem voz”, onde acredito que a intenção foi colocar o leitor para pensar e entender as coisas nas entrelinhas. São 3 obras para fechar este livro curtinho e cheio de profundidade.
Este é um livro cheio de simbolismos e de interpretações. Acredito que talvez outras pessoas possam ver o que a autora escreveu de maneira diferente da minha justamente por estes simbolismos e duplos ou triplos modos de entender o que ela quer nos passar. Sem dúvida, Moema é muito boa em usar narrativas diferenciadas e com amplos significados.
O livro é bem curto, dá para ler rapidamente. Quanto a capa, achei agradável esteticamente, não tem nenhuma imagem, apenas algumas formas em várias cores. As páginas são amareladas e fonte e diagramação agradáveis.
Quando vi a Mary postar que havia recebido este livro, fiquei interessada, pois a Moema foi uma das minhas professoras do curso de extensão em Escrita Criativa da PUC-RS que fiz online neste ano. Lembro-me da gentileza que ela passava em suas correções e adorei a ideia de ler um livro escrito por ela. 
Caso resolva dar uma chance aos contos da Moema Vilela, desejo a todos uma boa leitura.

Pin It
0

Dica: Escrever melhor: guia para passar o texto a limpo - Dad Squarisi e Arlete Salvador

Autor: Dad Squarisi e Arlete Salvador
Páginas: 221
Ano: 20156
Editora:  Contexto
Gênero: Não ficção
Nota: 5 /5
Sinopse
É possível transformar um texto comum numa escrita sedutora, gostosa de se ler? Em Escrever melhor: guia para passar os textos a limpo, Dad Squarisi e Arlete Salvador mostram como estudantes, jornalistas, advogados, executivos e outros profissionais que usam a escrita no dia-a-dia podem melhorar seu texto, tornando-o conciso, objetivo, claro e... sedutor. O livro aponta os defeitos mais comuns - em relatórios, documentos, reportagens, dissertações, teses e petições - e indica como escapar das ciladas da língua portuguesa.

“Escrever melhor: guia para passar o texto a limpo” é um livro que você tem que ter na cabeceira.  Deve ser lido por todos que trabalham direta ou indiretamente com a escrita, ou seja, todos nós kkkk.
Eu já tinha lido e adorado “A arte de escrever bem” das mesmas autoras, Dad Squarisi e Arlete Salvador, já tem resenha aqui no blog  e eu recomendo muito.
 Enquanto “A arte de escrever bem” tem dicas muito práticas voltadas para o texto jornalístico, mas que podem ser utilizadas no nosso cotidiano para tudo que a gente escreve. Esse outro “Escrever melhor” traz dicas mais abrangentes e se aprofunda em temas da língua portuguesa.
Na primeira parte dessa obra aprendemos a cortar informações supérfluas, que acabam tornando o texto menos fluido e interessante. Esse foi um dos capítulos que mais gostei, porque sou a mestre em encher linguiça, coloco muitas informações desnecessárias e repetitivas que meus textos acabam ficando maçantes.  Sinto que melhorei bastante depois dessas dicas, passei a ir direto ao ponto.
Dicas das autoras sobre textos:
“Eles precisam ser claros para dizer realmente o que precisam dizer. Precisam ser concisos para não sobrecarregar o leitor com informações desnecessárias. E precisam ser objetivos para ater-se ás informações relevantes . Editar, pois, é fundamental.”
“O problema mais comum nos textos é o tamanho. Escreve-se demais. Escreve-se demais, escreve-se muito, como se a qualidade pudesse ser medida por metro ou peso. Extensão não é documento nem excelência.”
As autoras indicam evitar o uso de expressões vagas que não exprimem nenhum sentido (Ex: Visa Analisar= Analisará ou apontará / pode apresentar= apresentará/ beleza de no = Beleza angelical), assim como evitar clichês e redundâncias.
Que é escritor de livro também pode se beneficiar muito com as dicas dessa obra, na hora de descrever os seus personagens e cenários, tem dicas ótimas sobre isso aqui. Tem dicas preciosa de pontuação e acentuação, tudo muito prático e sem aquelas informações confusas que a gente vê na escola.
Antes de ingressar na faculdade de letras eu não sabia o que era um tópico frasal dos parágrafo, nem fazia ideia que um parágrafo tinha que seguir uma estrutura, aqui no livro está tudo muito explicadinho, vale muito a pena conferir.
A escrita das autoras é muito envolvente, elas realmente tem o dom de escrever para cativar o leitor, notei isso nos três livros que li delas. A pesar de ser uma obra que se propõe a ensinar um assunto “chato”, elas trazem tudo com muito bom humor, trocadilhos, frases de efeito e piadas. Me peguei diversas vezes rindo, como nunca pensei que aconteceria em um livros sobre a língua portuguesa.
Vai por mim e pegue essa dica para a vida. Os livros dessas autoras já ficam na minha cabeceira para sempre estar relendo um tópico ou outro.

Pin It
0

TOUCHDOWN - ROXY SINCLAIRE


Touchdown: Um Romance Esportivo Badboy por [Sinclaire, Roxy]

Sinopse:
O maior touchdown da sua vida!
Alexa:Eu o odeio, mas o quero…Odeio a chantagem emocional que minha mãe faz por não ficar com Sebastian, o cara que ela queria que eu casasse. Eu nunca o quis. Mas se não casar com ele, minha mãe cortará relações comigo.Só estou interessada no quarterback por quem torço nas laterais do campo, embora eu o odeie. Independente disso, não posso negar o que meu corpo e coração desejam. Mas estamos prestes a nos formar e seguir por caminhos diferentes. O que vou fazer?
Martin:Eu sempre a amei, mas sou mais pobre do que ela imagina…Jogar meu último ano na universidade como o quarterback estrela que as pessoas achavam que eu era, foi agridoce. Espero ser escolhido para o NFL para conseguir ajudar a compensar minha família por tudo que fizeram, e tirá-los daquele trailer. Mas isso significa ficar longe de Alexa.Ela era a líder de torcida que eu queria para sempre ao meu lado. Mas, cara, ela podia ser tão metida às vezes! Isso até nossos amigos nos trancarem no dormitório e não nos deixar sair até resolvermos as coisas. Não tenho ideia do que acontecerá em seguida…

Olá amores, estão afim de dicas de romances contemporâneos por aqui?
Já que no mês de  novembro só tivemos dicas de romances de época, estou sentindo falta de ler e indicar romances contemporâneos.  
Aproveitando que recebi o convite para ler esse novo livro da Roxy Sinclaire, já vou compartilhar a dica com vocês. Ainda não comecei a leitura, mas com certeza essa belezinha já vai me acompanhar no fim de semana.
Eu sou completamente viciada nesses livros com pegada esportiva, estilo New adult, com muita sensualidade e histórias lindas. Acredito que vou gostar bastante, depois venho contar  para vocês o que achei.

A editora me garantiu que esse é um romance completo de badboy esportivo, SEM cliffhanger, SEM traição, e com um final feliz garantido. Então como não amar, não é mesmo?
Leia Agora!
AmazonGooglePlayiBooksAdicione no Skoob!



Pin It
0

TAG Os Bridgertons


Miladys, hoje eu vou responder essa TAG super especial criada pela Krys ( @literatuando)  e reúne características dos nossos amados, idolatrados Bridgertos. Quem não ama, não é mesmo !
1-Daphne: um personagem decidido:
A mocinha que me veio à mente ( além da própria Daphne) foi a Calpúrnia de "Nove regras à ignorar antes de se apaixonar", a coitada sempre foi super certinha, mas não ganhou nada com isso, então decide jogar tudo pro alto e "viver la vida louca", fazendo tudo que lhe dava na telha. Outra personagem que me surpreendeu tremendamente foi a Evie de "Pedados no inverno", fiquei pasma com a evolução dessa mulher e o quão decidida ela se tornou.
2-Anthony: um livro que você não estava tão animada para ler, mas depois que leu amou:
Se não for para começar animada eu nem começo. Então para essa pergunta eu vou citar um livro que eu não tinha ideia de que era tão incrível. "Belle" da Leasley Pearce me deixou no chão, impactada.  Que livro sensacional ❤.
3-Benedict: um personagem artista: 
Dylan de " Todos os teus beijos - Laura Lee Guhrke" ele é um musicistas/ compositor top que depois de sobre um acidente bobo, fica parcialmente surdo, mas não permite que ninguém saiba. Um dos libertinos mais encantadores da literatura de época ❤
4-Colin: um livro que te fez rir: 
Esses são os melhores, vou citar dois que me divertiram muito recentemente "Como agarrar uma herdeira" e "Uma dama fora dos padrões" da Julia Quinn. Os personagens de ambas histórias são hilários.
5-Eloise: um personagem que gosta de escrever cartas:
Podia citar a Eloise, mas dessa vez mencionarei a Beatrix de "Paixão ao entardecer" que é simplesmente a melhor. Não é a toa que ela conquistou o Chris com suas belas cartas de amor ( ainda que ele não soubesse que era ela a autora daquelas belas palavras).
6-Francesca: um livro que aborde o tema viuvez:
Um tema pouco debatido, que eu gostaria de ver mais na literatura de época. Dessa vez vou citar um de banca ambientado no velho oeste "A lei do amor -Anne Avery", uma doçura de livro, que traz uma protagonista viúva, muito forte, o romance também é uma lindeza.
7-Hyacinth: um personagem persuasivo:
Simon Hunt? Quer homem mais persuasivo que esse? Era espezinhado pela Annabelle, mas nunca largou o osso, venceu pelo cansaço e também por que irresistível #homãodaporra. 
8-Gregory: um livro sobre resiliência (capacidade de lidar com problemas e adaptar a mudanças):
Vou repetir de novo o livro "Belle", está para nascer mocinha mais resiliente que ela, a pobre passa por poucas e boas e ainda consegue seguir em frente se adaptado a tudo. A Claire de " Outlander: A viajante do tempo também é assim. Amo essas mulheres porretas.
9-Violet: uma personagem "mãezona":
Não podia citar outra além da própria Violet, que mulher!

Quero ver as respostas de vocês também, tire uma fotinho e me marque.

Pin It
1

5 Autoras de época que recomendo para quem está começando a ler o gênero



Há quanto tempo vocês leem romances de época? Já se apaixonaram por esse gênero logo no primeiro livro, ou demorou um pouquinho para se encantar?

Eu me encantei logo no primeiro livro, essas tramas envolventes, sensuais e apaixonantes, não tive como não amar. Mas no começo eu ficava super perdida com relação às regras de etiqueta, aos títulos de nobreza, a cultura e o modo de vida das pessoas naquela época, demorou um tempinho para que eu me acostumasse a tudo isso.
Acho que o tipo de escrita da autora ajuda muito a compreender esses pormenores, por isso é bom começar com romances mais leves e bem explicadinhos.
Tenho algumas dicas de autoras que são sensacionais para quem está começando. Elas tem livros maravilhosos que deixam a gente com aquela vontade de ler tudo o que escrevem. Indico de olhos fechados essas daqui:
1- Julia Quinn: Essa autora já virou um clichê, todo mundo ama. De fato, os livros dela são delicados e apaixonantes, as tramas são muito bem explicadinhas, qualquer livro que você pegar dela vai te deixar encantado. Só que para quem está começando no gênero romance de época, eu acho que seria melhor começar com as duologias dela, que são mais divertidas, não são tantos livros quanto os das séries. Apesar de que as séries também são muito envolventes.
Indiquei nesse post o “Uma dama fora dos padrões” que é uma explosão de fofura, delicadeza e diversão. Ri muito com esses personagens
2-Lisa Kleypas: Os livros da Lisa ao mesmo tempo em que são leves e fluidos também tem uma ambientação histórica maior, então são perfeitos para compreender como funcionava a sociedade inglesa do século dezenove e o que estava acontecendo com o mundo naquela época. As paixões também são arrebatadoras, a Lisa sabe dosar sensualidade com romantismo e fofura de uma maneira ímpar. Não é a toa que ela é minha romancista favorita.
3- Sarah MacLean: Outra autora sensacional para começar, os personagens dela são tão vividos, que parecem reais, a gente consegue se envolver com os dramas deles, se apaixonar  junto. Além disso, as mocinhas dela são sempre fortes e destemidas, os mocinhos uns pedaços de mal caminho. Não tem como não amar.
4- Tessa Dare: Já é uma autora com uma escrita mais sensual, recomendo para as leitoras que amam um livro hot, e para aquelas que já tenham lido alguns romances de época. Eu amei todos os livros dessa mulher, ela é destruidora.
5-Candace Camp: Essa é para as leitoras que gostam de um pouquinho de suspense e mistério.  De tramas muito bem explicadas, personagens fortes e mais densas. Amo demais a escrita dessa mulher. Queria muito que as editoras trouxessem mais livros dela aqui para o Brasil.
6- Louise Allen: Assim como a Julia Quinn e outras autoras, a Louise tem personagens bem humorados, um clima de sensualidade constante. A maioria dos livros dela retratam a alta sociedade inglesa e seus costumes. São romances para se apaixonar, não tem um contexto histórico super desenvolvido como os da Lisa Kleypas, mas são ótimos.
Aproveite as dicas e se joga, amiga!
#Novembrodeépoca #romancedeepoca #romancedeépoca


Pin It
1

5 romances nacionais maravilhosos com menos de 200 paginas


Nessa semana eu e as minhas amigas do #Novembrodeépoca vamos dar 5 dicas de livros de época curtinhos para vocês se deliciarem e lerem em um dia.
1- Assim como és - Naiara Aime (86 pg.): Um dos livrinhos mais fofos que li nesse ano. Aqui nós temos uma mocinha que não tem o padrão de beleza da sociedade Inglesa da época, além de ser gaga também. Após sofrer uma decepção ela perde as esperanças no amor e vai dar trabalho para o pobre do mocinho, que está caidinho de amor por ela, mas só leva patadas. Mas o que importa saber é que a história tem um lindo final feliz.
2- Um Conde para minha amiga -Tânia Picon (89 pg.): Outro livrinho doce, com cara de primeiro amor. Não tem como não se apaixonar por esse casal: uma mocinha doida para arrumar um namorado para a amiga e um certo cavalheiro apaixonado por biscoitos. A Tânia tem vários outros romances de épocas curtinhos assim, todos estão na minha lista de futuras leituras 😍😍.
3- Fronteira da Paz- Chirlei Wandekoken (170 pg.):
São duas histórias de amor que se intercalam em uma só, esse é um dos meus romances favorita do Quarteto do norte. Tem uma história arrebatadora, paixãoes avassaladora e também aquela escrita sensual da Chirlei.
4- A ama inglesa - Chirlei Wandekoken (142 pg.):
Outra história linda e sensual do Quarteto do norte. Esse é aquele tipo de romance estilo conto de fadas em que o mocinho rico se apaixona pela plebeia e vice-versa. Quem não ama esse tipo de história?
5-Uma aventura para Eloise (64 pg.)
Uma jovem senhorita a frente do seu tempo + um mocinho gringo, que se acha o dono da verde, só podia ser antipatia a primeira vista, né? 
Mas como diz o velho ditado " os opostos se atraem", nos rende uma história deliciosa estilo gato e rato 😍😍.
 Gostaram as dicas? Quais você já leu?

Pin It
2