A polêmica de cinquenta tons de cinza filme e livro - Leituras da Mary

segunda-feira, 9 de fevereiro de 2015

A polêmica de cinquenta tons de cinza filme e livro





   Polêmico antes mesmo de estrear “ Cinquenta tons de cinza “ o filme inspirado no livro de E.L.James com o mesmo titulo. Tendo como protagonistas os atores Jamie Dornan( Cristian Grey) e Dakota Johnson ( Anastasia Steele) esta prevista  para estrear agora em fevereiro e já é o assunto mais falado na internet e fora dela.


   Quem já leu o livro sabe de seu forte conteúdo erótico envolvendo sadomasoquismo e submissão os personagens principais são Anastasia e Cristian. Sem duvida podemos esperar um filme muito ousado, pois segundo o site da revista Veja, as cenas de sexo serão um quinto do filme o que equivale a mais de vinte minutos de sexo, um dos mais picantes dos últimos tempos.

Filmes que se notabilizaram pela temática sexual como O Último Tango em Paris (1972), de Bernardo Bertolucci, e De Olhos Bem Fechados (1999), o último de Stanley Kubrick, tiveram respectivamente 9 e 2 minutos de sexo. Cinquenta Tons de Cinza fica atrás apenas de 9 Canções (2004), de Michael Winterbottom, que tem 41 minutos de sexo -- de um total de 75 minutos de duração.(site revista Veja)

    A inspiração mais picante de Crepúsculo divide opiniões , muitos que tem mente aberta e aprecia esse tipo de literatura sensual, moderna, com temas atuais  tais como; sadismo, sadomasoquismo,  submissão, homossexualismo e jogos de poder . Tais temas ainda é um tabu na nossa sociedade que é de certa forma conservadora.
   Outra parcela de opiniões considera de baixo escalão, mau gosto, violento e pornográfico, há quem diga ainda que inspira a violência contra a mulher afirmando que a personagem Anastasia Steele é uma vitima de violência sexual. Existe até campanha no Facebook chamada “50 dollar not 50shades”, segundo a revista “The Hollywood repórter” a campanha consiste em pedir que as pessoas troquem o valor de seus ingressos  para contribuir com instituições de mulheres vitimas de violência sexual.
   Um assunto relacionado ao filme que esta circulando na internet é o banimento do filme na Malásia, que foi censurado pelo conselho cinematográfico do país  por seu intenso conteúdo erótico. O presidente do conselho afirmou que tomou essa decisão de banir  “Cinquenta tons de cinza” foi por não ter um conteúdo de sexo natural, sendo mais sádico e com cenas de submissão com uma mulher amarrada apanhando, ele afirma ainda que é pornografia demais para um filme.
   Polêmico ou não cinquenta tons de cinza é um dos filmes mais aguardados e promete ser um sucesso de bilheteria. Para quem planeja conferir a  estreará na próxima quinta feira dia 12 nos cinemas.



Minha opinião

   Que os fãs me perdoem, mas tenho minha opinião formada sobre o livro que certamente não é o tipo de leitura que eu goste, pois quem me acompanha aqui no blog ou no Facebook sabe eu curto “ uma pegada mais romântica”  kkkkk  e Cinquenta tons de cinza para mim esta muito longe de ser romântico.
    Abomino Sadismo, sadomasoquismo e submissão extrema e não me desperta outro sentimento que não seja asco. Acredito sim que o livro mostra e incita violência sexual como algo normal e “sensual”, para embasar meus argumentos veremos alguns conceitos de violência.

Violência é toda e qualquer forma de opressão, de maus tratos, de agressão, tanto
no plano físico como emocional, que contribuem para o sofrimento de outra pessoa.

 A violência sexual é uma agressão à liberdade do individuo, é uma manifestação
extrema do domínio de uma pessoa sobre outra.

  Agora me digam se essas citações não resume o conteúdo do livro?

   Então você me pergunta Mary você pretende assistir ao filme? Por incrível que pareça eu vou assistir, apenas para conhecimento acadêmico ( para quem não sabe eu curso a faculdade de Serviço Social) esses dois personagens são um prato cheio para entender como funciona a violência domestica, como se comporta a vitima e o agressor, o que os fazem ser assim e aceitarem essas situações. De certa forma a autora nos faz sentir na pele de Anastasia e entender como uma “vitima” pode estar à mercê do seu “agressor” e ela por algum motivo aceitar, se conformar e até mesmo ter uma falsa sensação de proteção.

   Em fim passaria horas aqui falando  sobre as utilidades de Cinquenta tons de cinza para o Serviço Social. Mas creio que já entenderam que todo conhecimento é valido e que nada é perdido. Gostaria de saber sua opinião sincera , assim como a minha foi, sempre respeitando os pontos de vistas de cada um.






20 comentários:

  1. Um dos motivos de eu não ter lido essa trilogia foi que eu Tb não gosto de Sado, porém tenho que confessar que estou louquinha pra assistir o filme, bjus

    ResponderExcluir
  2. Nossa, eu tenho completo asco por livros com essa temática, para ser bem sincera. Não acho que esse livro tenha algo a me acrescentar e nem tinha noção do que a mulher sofria tanto nas mãos desse cara. Sendo bem sincera, eu não entendo porque alguém se atrairia por um sujeito como esse Cristian - chego a ter nojo dele.
    Não tenho a mínima intenção de assistir ao filme, mas respeito a opinião de quem gosta da história, só não posso evitar de a pessoa cair no meu conceito. É o caso do que aconteceu quando alguém que eu conhecia disse que leu os livros e adorou a história, que não era apenas sexo e blablablá. Eu diria que se é para se ler uma história com sexo, as pessoas deveriam ler algo legal como As Crônicas do Gelo e Fogo, que já é uma história forte, mas que me atrai muito mais e que me passa a sensação de que eu conseguiria tirar uma lição da obra.
    Você pediu a minha opinião sincera, está aí :)

    Leitores Forever

    ResponderExcluir
  3. Oi, tudo bem?
    Eu estou bem curiosa sobre esse filme. Seja lá como sair, vai ser polêmico e vai ter muita crítica, rs. Mesmo os fãs dos livros vão criticar, por não ser muito "fiel ao livro". Pessoalmente, o tema não me incomoda, o que me incomodou nos livros foi outra questão polêmica, o plágio, porque quem devorou Crepúsculo como eu, pegou várias cenas em 50 Tons que extrapolaram a "inspiração" e foram praticamente cópia de Crepúsculo mesmo. Mas isso também é assunto para outra discussão, rs.
    Também não entro nessa discussão sobre a influência dele nas agressões domésticas, porque desde o início vi como uma ficção e entretenimento, e foquei nisso, mas você, que é estudante da área Social, realmente consegue enxergar um outro lado.
    Adorei o post, vamos ver o que o filme trará, rs
    beijos
    meumundinhoficticio.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  4. Oi, Mary!
    Compartilho de sua opinião sobre 50 Tons. Tentei ler, confesso, mas achei entediante. A parte que deveria ser interessante, a do sexo, me causou completa aversão. Não deu. A autora não convence, não escreve bem e compôs uma obra comercial demais com a clara intenção de polemizar. Os fãs da série nunca conversaram de modo satisfatório para mostrar algum ponto de vista pelo qual eu pudesse ver 50
    tons com outros olhos. Não rolou.
    Com carinho,
    Celly.

    http://melivrandoblog.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  5. Oi!
    Eu nunca li 50 tons, mas tô bem ansiosa pra ver o filme. Vi opiniões muito adversas e quero descobrir qual é a minha. Sobre 50 tons mesmo, eu ainda não tenho, mas sobre essa do sadomasoquismo, ele não pode ser chamado de violência. Violência é algo imposto à vítima, é algo que ela não escolheu, é algo que a deixa mal. O Sadomasoquismo é sexo consentido, com prazeres diferentes. Essas práticas BSDM, por mais que tenham, sei lá, cordas e espancamento, elas nunca serão mais violentas que um estupro, por exemplo. Então, na minha opinião, o fraco da obra não pode ser o sadomasoquismo em questão, e sim a maneira que autora conduziu.Se levou pra uma história interessante e digna de ser lida ou não. Isso, eu ainda não sei hahaauua
    O sadomasoquismo é uma modalidade com fetiches tão normais quanto qualquer outro. Eu conheço pessoas assim, e elas são tão normais quanto qualquer um de nós. Essa brutalidade só é feita na cama,e com um parceiro que goste disso. Eu acho que BSDM é tão abominado por ter poucas pessoas que gostam, ou que pelo menos conhecem pessoas que gostam. Eu não acho legal pra mim, mas pode ser pros outros.
    A questão é se 50 tons veio pra acrescentar algo de verdade, ou só pra polemizar sobre um assunto que pelo menos no Brasil ainda é um tabu.

    Beijos! Adorei você ter colocado o tema em questão, eu gosto muito de debater sobre coisas polemicas hauahuua
    Com carinho, Amanda.

    www.expressodenarnia.com

    ResponderExcluir
  6. Um tema beeem polêmico rsrs
    Quando li o primeiro livro, pela primeira vez, terminei com nâuseas.
    Mas, por alguma força maior, continuei e li a trilogia inteira.
    Acho que o que mais gera essa "polêmica" é a relação BDSM, porque convenhamos, a muitos livros por aí que também falam de sexo, bem mais do que 50 tons (Toda Sua, da Sylvia Day, por exemplo).
    Tem muitos livros sobre seo que não geraram isso tudo. Eu me choquei com o sadomasoquismo presente no livro. Porém, não acho que Christian seja isso.
    Nos demais livros, ele fica todo se doendo pela Ana. Ela não pode espirrar que ele já está em cima, com um paninho, perguntando se ela ta bem.
    Vi debates entre psicólogos afirmando que o senhor Grey não é sadomasoquista, é apenas um homem traumatizado pelo que aconteceu na infância.
    O Cinquenta Tons mais Escuros é muito love, muito romance. O terceiro então, mistura romance com bastante cena e ação.
    Mas gosto é gosto e respeito a opinião de todos.

    ResponderExcluir
  7. Oi, Mary! tudo bem?!

    Talvez um dia eu leia o livro e veja o filme. Mas por enquanto não. E não pelo tema/ temas abordados, mas sim porque me incomoda tanto marketing em cima do livro e agora do filme.
    É claro que somos manipulados pelo consumismo, pela industria do entretenimento, mas de vez enquanto precisamos refletir sobre o que e quando queremos algo para nós.

    Beijos

    ResponderExcluir
  8. Não tive a menor vontade ler o livro e nem pretendo assistir ao filme. Tenho tantos livros na fila de leitura que acho simplesmente desperdício de tempo ler algo que sei q não vou gostar.
    Sobre a questão do sadomasoquismo, nunca tive uma opinião muito contra, caso seja consensual. Se os dois querem, acho q não tenho nada com isso sabe? Nunca considerei uma forma de agressão, mas também não sei muito sobre o assunto. Não é algo que me agrade de forma alguma e nem gasto tempo discutindo muito a respeito.
    Agora sobre isso incitar violência doméstica, não tinha pensado nesse sentido. Tudo bem que no livro é consensual (pelo q entendi), mas pode levar a pessoas quererem fazer sem o consentimento do outro, e aí já é um problema seríssimo.
    Achei interessante o post e me fez refletir por um lado que nunca tinha cogitado antes!

    ResponderExcluir
  9. Oi, tudo bem? :)
    Bom, esse não é o tipo de livro que eu gosto, definitivamente. Nunca li 50 tons e nem pretendo ler. Já tive curiosidade algumas vezes, mas sei que acabaria cansando na metade, então prefiro nem comprar. Acho que irei assistir o filme justamente por essa curiosidade.

    Como já disse, não li o livro então não sei exatamente de que forma os personagens se comportam um sobre o outro e concordo com sua opinião de que o livro incita violência sexual como algo normal e sensual, mas discordo que isso pode ser de todo errado. Acho que cada um possui seus gostos e conheço gente que realmente gosta deste tipo de relação. Claro que, como não li o livro, pode ser que o comportamento submisso/dominante dos personagens ultrapasse as cenas de sexo e aí eu já não concordo porque acredito que ninguém deve se submeter a ninguém no seu dia-a-dia. Mas em relação às cenas mais picantes, acho que é questão de gosto mesmo.

    Ótimo post! :)
    Beijosss
    http://bookspoison.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  10. Olá!

    Eu nunca cheguei a terminar de ler o primeiro livro, na verdade, consegui ler até a página 80, e não fui para além disso. Não foi nem o tema do livro que me animou, mas a narrativa da autora que simplesmente me deixou cansada de tanto bla bla bla.

    Particularmente, acredito que exista relações e relações, mesmo dentro do contexto BDSM. Existem relações saudáveis dentro dessa prática, assim como existem relações realmente abusivas, mas acho que não devemos condenar essas práticas sexuais e nem mesmo generalizar.

    Beijos
    http://coolturenews.com.br

    ResponderExcluir
  11. Eu li o livro. Realmente não é dos melhores, ainda mais em termos de erotismo. Achei tudo muito superficial e enaltecido (em relação a coisas que nem são AQUELA coisa, na minha humilde opinião). Mas enfim, é um livro mais ou menos.

    Quanto a questão da incitação à violência eu acho exagero. Sério. Desde o princípio a Anastasia sabia onde estava se metendo e o que o Cristian esperava dela e tinha a oferecer (e eu não estou falando de objetos materiais). Ela quis isso! Ela decidiu conhecer novas coisas e decidiu que queria o Cristian na vida dela mesmo com todas as suas "peculiaridades". Então não, não pode ser comparado com estupro ou sexo sem consentimento, porque há termos que ela leu e aceitou antes de tudo começar.

    Acho que é tudo exagero da mídia pra aumentar ainda mais a curiosidade do público e aumentar os lucros nas bilheterias. Mas é só a minha opinião.

    www.dezenoveprimaveras.com.br

    ResponderExcluir
  12. Oii Mary, tudo bem??? Você não tem ideia do quanto eu abomino essa trilogia. Mas passei a respeitar o gosto alheio. Ainda não entendo como alguém pode gostar de um negócio desses, mas ok.
    Mas acho super válido esse tipo de coisa, para o seu serviço. E sim, tem gente que aceita isso como algo bom. Mas não é. Submissão não é bom. Não é legal, não é saudável. Li a trilogia toda, pq eu pensei que em algum momento o negócio podia melhorar. E não melhorou. E devo dizer que assistirei o filme, pois tenho esperanças de que seja melhor. Mas sabe o que eu não aceito mesmo???? A mídia vendendo essa , como uma história de amor. Não vejo onde tem amor aí. Desculpe se extrapolei no comentário. Beijooos
    http://profissao-escritor.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  13. Oi Mary tudo bom?
    Ai nossa vc nao sabe como isso é confortante: ler uma critica sobre esse livro de forma a abordar a violencia de forma séria, por uma assiste social em formação. Sou psicologa, e concordo plenamente com o que vc falou no post... o que acontece é que estao falando por ai que a moça concordou com as agressoes e por isso nao se caracteriza violencia, mas olha onde o mundo vai parar? A mulher tem que ser a primeira a defender seus direitos, e muitas se vendem por coisas materiais e se sujeitam a coisas horriveis. Isso é um problema grave na sociedade, as meninas nao se valorizam mais. Acho legal pegar a onda dessa modinha do livro e agora filme para abordar esse tema. Vou incluir seu post no meu blog, divulgo toda segunda-feira os links da semana. E também vou te incluir no meu blogroll, precisamos de mais pessoas com o seu bom senso na blogosfera! Parabéns!!! Beijos
    CarolMello.com

    ResponderExcluir
  14. Não gosto do livro. Acho um texto pobre repetitivo e cansativo. Mas nunca havia pensado no mesmo dessa forma, pois via a relação como um consenso. Ele propôs e ela topou. Agora olhando por essa ótica a coisa fica bem diferente, ele propôs, seduziu e ela foi condescendente. Difícil entender esta relação. Só com mais informações é possível chegar a uma formulação de opinião. Pelo menos para mim.

    http://cafeecomletras.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  15. Oi, tudo bem?
    Confesso que 50 tons não é do gênero que eu gosto, assim como você prefiro uma pegada mais romântica kkk Mas eu estou curiosa com o filme, quero ver o que tem de tão bom ou tão ruim nessa história, já que não li o livro para saber :c kkkk Enfim, não acho essa coisa de sadomasoquismo certo, também acho que o livro e o filme agora irão mostrar isso como algo normal e sensual, só espero que não comece a surgir vários casos de sadomasoquismo por ai kkkk

    Beijos :*
    Larissa - http://srtabookaholic.blogspot.com

    ResponderExcluir
  16. Olá amore, achei bem interessante este post. Em relação a trilogia e ao filme, simplesmente abomino... Simplesmente não entendo como as pessoas podem considerar o protagonista uma pessoa perfeita, maravilhosa, sensual e isso aquilo e considerar essa situação toda como um relacionamento, ou prazer... Fico realmente revoltada... Mas fazer o que, realmente as opiniões são bem divergentes...
    Beijos e muito sucesso <3.

    ResponderExcluir
  17. Olá Mary!
    Compartilho de sua opinião. Curto um pouco romances eróticos, mas sem violência, e já tentei começar a ler 50 tons de cinza e apesar de tudo o que me fez desistir da leitura não foi as cenas de sexo e sadomasoquismo, pois nem cheguei a este ponto na leitura, mas sim a escrita da autora que eu achei péssima, nem consegui passar da página 60. =/
    Então não tenho a mínima vontade de ir assistir ao filme no cinema e nem alugar na locadora. Esse tipo de história para mim deprecia completamente a imagem da mulher.
    Beijos
    Carolina
    http://aventurandosenoslivros.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  18. Já tinha lido parte do livro mas comecei a odiar a personalidade da Ana como mulher. Primeiro, era uma rapariga certinha, focada nos estudos com oportunidades de namoro, mas sempre à espera do homem certo. A partir do momento que conhece o Christian passa a ser completamente dependente dele! E foi isso o que mais me irritou no livro e me fez deixá-lo de parte! No entanto, várias amigas amam a trilogia e visto que o filme está quase aí, estou a tentar dar-lhe uma 2ª oportunidade. Tenho pesquisado e penso que a única coisa que vale a pena é a história por trás do homem que Christian é... Ainda por cima, tal como a Mary, estudo Psicologia, e algo que me fascina são as consequências futuras de uma infância/adolescência atribulada, que pelo que dizem, é o caso do protagonista. Enfim, quando acabar o livro tirarei as minhas conclusões (se o conseguir acabar!)... Mas estou mortinha para ver o filme com o meu grupo de amigos! :)
    Se quiser ficar ligada ao meu blogue para uma futura resenha das 50sombras, disponha :D
    beijinhos

    http://theliterarybusiness.blogspot.pt/

    ResponderExcluir
  19. Oii, tudo bem?
    Eu curto livros com conteúdo erótico, mas não curto sado.
    Não tenho a mínima vontade de ler, acho a Ana uma idiota, por aceitar tudo que ele faz.
    Só que o filme vou ter que assistir, não por curiosidade da história nem nada, mas porque eu sou super fã do Jamie Dornan desde que o vi pela primeira vez em Once Upon a Time (contraditório não?)...
    Bjs

    http://a-libri.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  20. Não conheço muito sobre o livro/filme, nem quero, não tenho a miníma vontade /:

    ResponderExcluir

@marycspblog