domingo, 30 de abril de 2017

Resenha Nacional: Tudo tem um porquê - Marcelo Cezar


O livro é protagonizado por diversos personagens que, ao longo da trama, têm suas vidas entrelaçadas.


A primeira estória da qual somos apresentados é a de Berenice, uma mulher de 25 anos de idade, casada e estéril. Seu casamento com Durval ia bem, até que ela teve de extrair o útero por conta de uma doença e passou a dedicar-se totalmente a vida de dona de casa, na intenção de compensar seu ''defeito'' ao marido. Entretanto, as coisas não saíram do jeito que imaginava; a intimidade do casal foi se esvaindo aos poucos e o amor foi-se acabando de ambos os lados.
Depois de anos em um casamento sem amor e a com a mínima intimidade, Durval decide que o melhor para ambos é a separação.Ele não ama mais sua esposa e o sentimento é reciproco; não há mais pelo que lutar. Decidido, ele faz o anúncio a Berenice: após a virada do ano, a casa será vendida e o divórcio providenciado. 
Transtornada e decidida a mudar a cabeça de Durval, Berenice decide ir atrás do marido após a provocação de Inês, uma garota seis anos mais nova que ela, e que estava disposta a roubar-lhe o marido. Após confrontar o marido em frente ao bar onde o mesmo frequentava regularmente, ela sai de lá agitada o bastante para não perceber as coisas ao seu redor - inclusive a van que vinha em sua direção em alta velocidade. Resultado: morte instantânea (antes de pensarem em mil e uma maneiras de me deceparem, lembrem-se: isso não é um spoiller! Essa cena acontece na segunda página do livro).
Ainda em torno da estória de Berenice, o leitor é apresentado a Toninha, irmã mais nova de Berenice. Ao contrário da irmã, Toninha é alegre, determinada, batalhadora e sonha com o dia em que poderá cursar sua tão sonhada faculdade e viajar pelo mundo. Ela tinha como endereço a casa de sua irmã, mas após a morte da mesma, decidiu se mudar e dividir um apartamento com Esmeralda, uma de suas melhores amigas e que lhe ajudara a passar pelo luto. No dia em questão - a morte de Berenice- a garota decidira se encontrar no bar com Esmeralda e Vera; noite esta que acabara se tornando especial, devido ao fato de ter conhecido Gustavo Brandão: foi atração a primeira vista para ambos.
E agora é a hora em que suspiramos aliviados e pensamos:''Pelo menos algo bom aconteceu na vida dela para compensar a perda da irmã''. Entretanto, apenas algumas páginas a seguir, percebemos que este romance não fluirá tão facilmente. O por que? Simples: Toninha é gerente da loja de Elisa Brandão, uma mulher sem medidas e incapaz de sentir o mínimo pesar com as maldades que faz, e que não é ninguém mais e ninguém menos que a mãe daquele que habita seus pensamentos - e em pouco tempo, também habitará seu coração.

Seguindo o rumo das apresentações do personagem, a próxima é Elisa Brandão. Como citado acima, ela é uma mulher sem escrúpulos e sem compaixão. O único amor que nutre é aquele que sente por si mesma e a obsessão por seu marido Humberto. O amor entre eles nunca existira, mas devido a um acordo feito em Paris há mais de 20 anos atrás, o casamento foi feito e dele foi gerado Guilherme e Gustavo. Seus filhos são a unica segurança que Elisa tem de que seu marido não a largará, por isso, mesmo sem um pingo de amor aos próprios filhos, ela faz de tudo para que permaneçam morando em sua casa, pois sabe que no momento em que os mesmos fizerem suas malas e partirem para a independência, o marido fará o mesmo.
Ainda dentro do circulo familiar, temos Guilherme Brandão. Jovem, bonito e inteligente, Guilherme não consegue entender de onde surgiu tanto desagrado de sua mãe dirigido a ele. Desde pequeno é acostumado ao ódio que sua própria mãe lhe dirigi, entretanto conseguiu encontrar o amor materno em Danusa, sua madrinha - ou dinda, como prefere chama-la. Solteiro, ele ainda não conseguiu esquecer completamente sua ex Paula, uma mulher quase tão fria quanto sua mãe e que faz de tudo para subir na vida, sem se importar em ter que destruir algumas pessoas para isso.
Manuela é filha de Danusa e foi criada em meio ao amor e compreensão, mas isto não a impediu de ser uma mulher insegura e em conflito com si mesma. Ela está em um relacionamento agradável, mas sem amor. Porém, isto não se deve apenas para manter um status social ou algo parecido, e sim pelo fato de ser indecisa e não saber lidar com a própria vida. Ela não conhece a si mesma e a seus próprios gostos; ela é uma desconhecida em sua própria mente. Entretanto, a chegada de um amigo distante pode influencia-la a tomar decisões importantes que poderá mudar seu futuro - para melhor, é claro.
E eis aqui a grande pergunta: onde é que, no meio deste emaranhado de estórias, está envolvida a espiritualidade? Cada personagem tem, de forma distinta, suas vidas modificadas através do espiritualismo e do seguimento de suas práticas, mantras e ideais.


Minha opinião:

Esse foi o segundo livro que li escrito pelo autor e devo dizer que, apesar de não seguir essa prática religiosa, o fato de poder conhecer seus conceitos e seus ideais fora simplesmente gratificante.
Confesso que sempre tive um pouco de preconceito com livros que tinham como gênero a religião; sempre achei que se os lesse, de certa forma, minhas crenças poderiam ser desafiadas ou alteradas. Mas, definitivamente, não foi isso que aconteceu.
Uma das características que mais gostei durante a leitura foi o fato do autor, em nenhum único momento, tentar impor sua religião sobre as outras; ele deixa de forma clara e convicta de que cada um merece e deve seguir aquilo do qual acredita, levando em conta tudo aquilo que lhe faz bem.
O autor consegue, a cada novo capítulo, transpor-nos aquilo em que acredita. Ele nos mostra sua visão sobre o espiritismo e sobre o que nos espera após a ''morte'' (coloquei a palavra sobre aspas porque, dentro do espiritismo, a morte não existe, ela é como uma incógnita).
Além do que foi citado acima, algo que me deixou super feliz - e atrevo-me a dizer realizada- foi o fato de haver personagens homossexuais. Hoje em dia, mesmo a homossexualidade não sendo mais um tabu, dificilmente vemos obras que incluam relacionamentos entre pessoas do mesmo sexo.
Nem sequer é preciso dizer que recomendo, certo?

3 Motivos para ler:

1° É uma ótima forma de conhecer mais sobre o espiritismo.
2° O livro tem algumas reviravoltas, o que é ótimo para quem gosta de uma boa surpresa.
3° Apesar das páginas do livro serem brancas, as letras são grandes e fazem com que a leitura fique mais fácil. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário