terça-feira, 18 de julho de 2017

Resenha: O Conde de Montecristo - Alexandre Dumas #LeituradeClássicos

    Olá leitores, tudo bem?
    Quem disse que livros clássicos são chatos e difíceis de ler?
   A resenha de hoje é de um livro super clássico e maravilhoso, apesar de ser um pequeno calhamaço é uma leitura muito leve e fluída. 
Sinopse
Traições, denúncias anônimas, tesouros fabulosos, envenenamentos, vinganças e muito suspense. A trama de 'O Conde de Monte Cristo' traz uma emoção diferente a cada página e talvez isso explique a razão de a obra do escritor francês Alexandre Dumas ter se transformado em um clássico da literatura mundial, mexendo com a imaginação dos leitores há mais de 150 anos.
No romance, o marinheiro Edmond Dantés é preso injustamente, vítima de um complô. Anos depois, consegue escapar da prisão, enriquece e planeja uma vingança mirabolante. A galeria de personagens criada por Dumas faz um retrato fiel da França do século XIX, um mundo em transformação, em que passou a ser possível a mudança de posições sociais. As aventuras de Dantés ainda ganharam diversas versões cinematográficas que colaboraram para o sucesso da trama.



    O Conde de Monte Cristo, obra clássica da literatura francesa, foi escrito por Alexandre Dumas em colaboração com Auguste Maquet e concluído em 1844. Foi inicialmente publicado como Folhetim de 1844 a 1846. 
    Essa edição que li e estou resenhando é a edição bolso de luxo da editora Zahar publicada em 2012, li a versão em e-book que pode ser comprada na Amazon ou lida pelo Kindle unlimited, mas eu já estou juntando os trocados para ter o meu exemplar de capa dura, lindo e maravilhoso.
    O livro vai narrar a história de Edmond Dantés, um jovem marinheiro de aproximadamente 19 anos de idade. Apesar de ainda ser muito jovem Edmond sempre se destacou na sua profissão e por fazer de maneira exemplar tudo que era lhe ordenado, ele acabou sendo promovido  por seu capitão o Sr. Morrel que lhe deu o comando do navio Pharaon.
    Essa promoção acabou despertando a inveja e a cobiça de outros homens ao seu redor, Danglars que sempre almejou o posto, achou extremamente injusta a promoção do jovem. Por outro lado também temos a presença de mais um inimigo de Dantés, outro rapaz chamado Fernand Mondego.
    Mondego era primo de Mercedes, a noiva de Edmond, o primo sempre a cobiçou, mas  a bela Catalã só tinha olhos para Edmond, ambos estavam prestes a se casar, por isso Edmond trabalhada com afinco a fim de juntar o máximo de dinheiro para o casamento. Com a promoção ele e sua amada, em fim, poderiam realizar esse sonho.
    No entanto, alguns acontecimentos vão atrapalhar os planos do protagonista, sua ruína começa na noite em que aportaram na Ilha de Elba, refúgio do imperador deposto, Napoleão Bonaparte. Lá na ilha o inocente Edmond faz contato com Napoleão e este lhe entrega uma carta secreta, que deveria ser entregue a um amigo. Edmond que era um jovem ingênuo não vê mal algum em entregar uma simples carta.
    Para que vocês compreendam a história é necessário entender um pouco do contexto histórico, nesse livro somos apresentados á sociedade francesa do ano de 1815, nesse período de França pós-Bonapartismo, tudo que estava ligado ao imperador era visto com maus olhos, os seguidores de Napoleão, ou qualquer outra pessoa que tivesse algo a ver com ele eram presas e condenadas por traição.
    Quando o navio de Edmond retorna para a cidade de Marselha e ele recebe a promoção concedida por seu superior, como eu havia dito antes esse fato desperta a inveja de algumas pessoas, Danglars e Mondego se uniram ao senhorio de Edmond, Caderousse um homem muito ambicioso. Junto os três tramaram uma armadilha para nosso inocente protagonista.

“A vida é uma tempestade, meu amigo. Um dia você está tomando sol e no dia seguinte o mar te lança contra as rochas. O que faz de você um homem é o que você faz quando a tempestade vem.” 

    Quando Edmond estava em sua festa de noivado com Mercedes, alguns policiais chegaram em sua casa, dando-lhe voz de prisão, afirmando que receberam a denuncia que ele trazia consigo uma carta para um seguidor de Napoleão Bonaparte. Desse modo o jovem foi  tirado da festa e levado preso.
    Apartir desse ponto a história vai se desenvolvendo, as desventuras da personagem vão começando a se desenrolar em uma sequencia de acontecimentos, repletos de intrigas e traições. Quando o jovem caiu em si ele estava trancafiado na prisão de segurança máxima da França, o Castelo de If, destinado aos piores criminosos, ninguém jamais saia de lá.
    Nessa prisão ele come o pão que o diabo amassou, vivendo em situações desumanas  por cerca de  14 anos, isso tudo sem ao menos ter o direito de saber de que crime estava sendo acusado.Quando o protagonista já se sente cansado daquela vida e resolve que não mais continuará a viver, ele conhece um velhinho, o Abade Faria, que o ajuda a ter forças e o ensina tudo que sabe.

"Abade Fria: Em troca da sua ajuda, eu ofereço algo muito valioso. 
Edmond: Minha liberdade? 
Abade Faria: A liberdade pode nos ser tirada, como você bem sabe. Eu te ofereço meu conhecimento.” 

    Em troca de todo o conhecimento do abade, Edmond vai ajuda-lo a escavar um túnel rumo á liberdade, porém no processo o Abade adoece e antes de morrer acaba confidenciando um segredo, ou melhor, a localização de um grande tesouro.
    Não vou contar como, mas Edmond muito engenhosamente acaba conseguindo fugir da prisão, quando se viu livre ele acabou indo procurar o tal tesouro do abade, que até então ele desconfiava que não existia, porém o tesouro era real e também a resposta para os problemas de Edmond.
    Cheio da grana Edmond assume uma nova identidade, a de Conde de Montecristo e parte para Marselha para concretizar as vinganças que teve muito tempo  para planejar. Chegando lá ele descobre que tudo mudou, aqueles que tramaram sua ruína, Danglars, Mondego, Caderousse e      Villeford{procurador do rei que o mandou para o castelo de If por motivos pessoais, pois não queria que o nome da sua família fosse associado a Napoleão} haviam melhorado suas vidas e estavam todos morando na capital Paris.
     A França fica pequena para todo o desejo de vingança de Edmond, que com requinte e muita classe vai se vingar de todos, um por um, colocando o dedo na ferida mais dolorida de cada um.
💗💗💗💗

     Só espero que eu não tenha falado demais sobre a história e que vocês tenham entendido a premissa e ficado curiosos para fazer a leitura dessa obra que é simplesmente fantástica.
    Como puderam perceber um dos temas principais deste livro é a vingança, e eu sou fascinada por livros, filmes e séries com essa temática, sempre rende muita emoção. Achei magnifica a maneira com que Edmond se vinga de todos aqueles que tramaram sua derrota. A história nos é contada com uma riqueza de detalhes que é impossível não se sentir dentro dela.
    Entrou para o topo da minha lista de clássicos favoritos, vele muito apena ser lido, a narrativa é muito cativante, a escrita é simples sem aquele floreio todo que os livros clássicos costumam ter. Apesar de ter mais de 1000 paginas foi uma história que li com uma certa rapidez, ao menos eu não imaginava que iria concluir a leitura tão rápido.
    O que que inspirou a fazer a leitura deles, além das resenhas super elogiosas, foi a adaptação cinematografia dele que saiu em 2002 com o o ator Jim Caviesel interpretando o Edmond, mas ao longo da leitura fui percebendo que o filme não tem quase nada a ver com o livro, o filme é mais romantizado principalmente em relação ao Edmond e a Mercedes, já no livro as coisas acontecem de maneira bem diferente. Reforçando a recomendação,  O conde de Monte Cristo vale muito a pena ser lido.
Avaliação: Mas é claro que minha nota não poderia ser outra além de 10, 5 estrelas no skoob e um coraçãozinho de favoritado.





Comentários
13 Comentários

13 comentários:

  1. Oiii Mary tudo bem?
    Eu fiquei apaixonada pela sua resenha, acredite eu nunca li esse livro e me arrependo ainda mais sendo um clássico, suas fotos ficaram incríveis, com toda certeza quero ler.
    Beijinhos

    ResponderExcluir
  2. Amei sua resenha, Mary! Sou louca para ler esse livro (também junto os trocados para comprar aquela edição maravilhosa capa dura kkkkkkkkk) mas tenho um pouco de dificuldade para ler livros de +1000 páginas. Por outro lado, todo mundo diz que os livros do Alexandre Dumas são bem fáceis de ler, então acho que vou tentar mesmo assim. Amo o cenário do livro, a história da França é uma das minhas prediletas.
    Beijos!
    Páginas Empoeiradas

    ResponderExcluir
  3. Adorei a resenha! Assisti à adaptação citada (uma​ das minhas favoritas, por sinal) e quando soube que tinha o livro, óbvio que entrou para minha lista de leitura. Só não tive a oportunidade para ler ainda, mas assim que possível cumprirei essa meta. Fico feliz que a leitura seja leve e fluída. Acho que uma das razões para ter deixado de lado era o medo da linguagem ser muito rebuscada rsrs
    Enfim, adorei suas impressões.

    ResponderExcluir
  4. Olá, eu vi o filme recentemente e gostei muito, após sua resenha fiquei curiosa para ler o livro e descobrir quais as diferenças entre os dois. Gostei muito da resenha.

    ResponderExcluir
  5. O livro eu não li, mas vi a adaptação que adorei. Não tenho pretensões de ler por enquanto, mas é uma leitura que se tiver chance, farei.
    Bjs, Rose.

    ResponderExcluir
  6. Que bom encontrar uma resenha sobre esse livro! adoro quando visito os blogs e vejo livros clássicos.

    Eu ainda não fiz a leitura desse (vergonhoso admitir isso), mas tenho uma enorme vontade. Me lembro que na escola (eita, quanto tempo!) a professora passou o filme em sala de aula e eu fiquei encantada com a história.

    ResponderExcluir
  7. Eu sou completamente apaixonada por essa história. Eu acho que o Conde de Montecristo é uma história maravilhosa, cheia de altos e baixos que prendem o leitor.

    http://laoliphant.com.br/

    ResponderExcluir
  8. Esqueci de perguntar... se existe só essa adaptação de 2002 ou se há alguma série ou algo do tipo?
    Beijo 😘

    ResponderExcluir
  9. Acho essa história muito interessante, o livro nunca li, e sinceramente não sei se leria, mas o filme já vi diversas vezes e acho muito bom e gostoso, uma história que vale a pena ser conhecida.

    Beijos

    ResponderExcluir
  10. Nossa, há tempos quero ler O conde de Monte Cristo, tenho na minha estante mas nunca o peguei, sua resenha abriu uma vontade enorme em mim e os temas abordados parecem ser muito bons, o que me animou de verdade foi saber que o livro possui uma narrativa que flui com rapidez, assim corro menos risco de desistir (o que é muito fácil no meu estado atual), mas espero que eu comece e termine a história, sinto que vou favoritar também!

    Beijos!

    ResponderExcluir
  11. Olá! Esse livro é um dos meus favoritos, a história é linda. Já vi diversas versões para o cinema, novelas e até uma série italiana. Gostei bastante da sua resenha. Uma leitura que vale super a pena, apesar de ser um livro bem grandinho, bjooo

    ResponderExcluir
  12. Oi Mary, tudo bem? Adorei a sua resenha! Esta é uma obra que sempre tive curiosidade em ler, mas sempre acabo deixando para lá. Não sabia que ele estava disponível através do Kindle Unlimited, acho que este é um empurrão que faltava. Espero gostar da leitura.

    Beijos,
    www.paginasincriveis.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  13. Adoro dicas que posso encontrar no kindle unlimited. Gosto de histórias ricas em detalhes e escrita envolvente. Não imaginava que era tão extenso, mas vou anotar essa dica.

    ResponderExcluir